Campus Party

publicidade
08 de fevereiro de 2012 • 22h35 • atualizado em 29 de Janeiro de 2013 às 11h59

"Não quero vender olhos", diz ciborgue que "ouve" as cores

Neil Harbisson é o primeiro ciborgue, uma junção de homem e máquina, a ser reconhecido como tal pelo governo - no caso, o britânico
Foto: Edson Lopes Jr. / Terra
 
Rafael Maia
Direto de São Paulo

Se a máxima de que, para aqueles que gostam da ordem, a inovação e a criatividade são as maiores inimigas for realmente válida, Neil Harbisson é, sem sombra de dúvida, um provocador da ordem das coisas. Diagnosticado com acromatopsia - o pior estágio do daltonismo, no qual o indivíduo somente enxerga tons de cinza - Harbisson lutou contra a natureza e o destino. Hoje, ele enxerga as cores por meio de um microcomputador ligado aos ossos do crânio. Ou melhor: ele as ouve. Em entrevista a jornalistas e ao Terra na Campus Pary, ele avisa: "eu não quero vender olhos. Eu quero que as pessoas busquem novas maneiras de enxergar as coisas", declarou.

Infográfico: Campus Party está no Anhembi; oriente-se pelo mapa
Infográfico: Veja o pavilhão da Campus Party 2012 em foto 360°

Neil Harbisson é o primeiro ciborgue do planeta a ser reconhecido por um governo - o britânico - como tal. "Nunca me incomodou enxergar somente tons de cinza. Eu não gostava era de não ver coisas que as pessoas viam e identificavam", falou. O projeto, chamado Eyeborg, começou, em 2004, como uma espécie de webcam com fones de ouvido e um computador de 5 kg nas costas, tudo interligado por um sistema de reconhecimento. Cada cor era "vista" pela webcam e traduzida para uma frequência de som específica, que era reproduzida nos fones de ouvido. Foi assim que Harbisson começou ver cores ao relacionar freqüências de sons a freqüências de cores.

"Por meio deste pesado aparelho" - ele destaca - "eu comecei a enxergar com cada som representando uma cor". Com o passar dos anos, ele quis que os fones de ouvido sumissem, e que o PC ficasse mais leve. Com cerca de US$ 150 e uma boa ideia, ele substituiu tudo por um chip, ligado a uma webcam de haste flexível e um fone para um único ouvido. "A peça fica no osso do meu crânio. Cada som é como uma cócega, uma vibração. Eu realmente ouço e sinto as cores", falou.

O que Harbisson vê, hoje, é uma combinação da visão de fato - que continua, é claro, com tons de cinza -, somada à cor que ele "sente" e "ouve" no cérebro. "Às vezes uma pessoa é visualmente bonita, mas ela tem um som muito feio, como o Príncipe Charles, por exemplo", brincou o ciborgue. Ele também levou no tom de brincadeira o modo como as pessoas olham para ele nas ruas. "Eu não ligo que riam de mim. Nós temos essa obsessão de ficarmos nos comparando com outros seres humanos. Mas, no final das contas, todos temos alguma deficiência", explicou, dizendo que os pássaros, por exemplo, têm a habilidade de enxergar tons ultravioleta, o que os humanos não conseguem.

Apesar do feito, ele não acredita que este projeto deva tomar rumos comerciais, porque não foi com essa intenção que ele foi criado. "Eu encorajo as pessoas a pensarem diferente. Eu quero que todos que tiverem uma deficiência corram para revertê-la da maneira que melhor for para elas mesmas. Para mim, isso foi o melhor", declarou.

Harbisson, o primeiro ciborgue, uma combinação de homem e máquina, existe para lembrar que as coisas simples são as que dão sentido à vida. "O que mais me empolgou quando eu 'voltei' a enxergar não foram as cidades ou coisas ostentosas. Foi o supermercado, a prateleira de sabonetes e detergentes. É muito colorido, é lindo", finalizou.

Campus Party 2012
A Campus Party, o maior evento geek do planeta, realizado em mais de sete países, acontece entre os dias 6 e 12 de fevereiro de 2012. A sede é o Pavilhão de Exposições do Anhembi Parque, na zona norte de São Paulo (SP). Pelo quinto ano consecutivo no Brasil, a edição de 2012 já começou batendo recordes: todas as entradas foram vendidas em 22 dias em setembro do ano passado.

Com 7 mil participantes, sendo 5 mil acampados no local , a Campus Party oferece neste ano mais de 500 horas de conteúdo. Os principais nomes desta edição são Michio Kaku, conhecido como o "físico do impossível", Sugata Mitra, pesquisador e professor de Tecnologia Educacional da Newcastle University, Julien Fourgeaud, gerente de produtos e negócios da Rovio, John Klensin, pesquisador do MIT, e Vince Gerardis, co-fundador da Created By, entre outros.

A programação do evento tem transmissão ao vivo pelo http://live.campus-party.org e aqueles que quiserem interagir com a transmissão pelas redes sociais podem enviar perguntas para os palestrantes. As hashtags exclusivas para cada uma das áreas de conteúdo são: Ciência - #cpbrCI; Cultura Digital - #cpbrCD; Entretenimento Digital - #cpbrED; Inovação - #cpbrIN e Palco Principal - #cpbrMainStage. A hashtag oficial do evento é #cpbr5.

O Terra cobre o evento direto do Anhembi Parque, e, além do canal especial Campus Party 2012, os internautas podem acompanhar as novidades pelo blog Direto da Campus.

Terra Terra