Cebit 2012
 
 

Tecnologia » CeBIT » CeBIT

 Dilemas da computação em nuvem permeiam debates na CeBIT
08 de março de 2012 10h43

Presidente da Deutsche Telekom, René Obermann, aponta a cloud computing como marco da nova era da tecnologia . Foto: AFP

Presidente da Deutsche Telekom, René Obermann, aponta a cloud computing como marco da nova era da tecnologia
Foto: AFP

A computação em nuvem (cloud computing, em inglês) é um dos temas centrais da CeBIT 2012, maior feira de TI do mundo, realizada em Hannover, na Alemanha. Os provedores de serviços do gênero esperam fazer negócios na casa dos milhões de euros, mas muitos usuários ainda estão receosos com o armazenamento remoto de dados.

O presidente da Deustche Telekom, René Obermann, descreve a tecnologia como marco da era pós-PC. "A arquitetura dos computadores é antiquada", resume. Para ele, o potencial de mercado de produtos como a nuvem é enorme, e a Deutsche Telekom estaria interessada em ter grande papel no setor. A associação alemã do segmento de informática, a Bitkom, calcula que o mercado do país europeu para serviços na cloud aumentará 47% em 2012, o equivalente a 5,3 bilhões de euros.

O chefe da seção alemã da HP, Volker Smid, afirmou à Deutsche Welle que o auge da nuvem indica que a forma clássica da computação está mudando. O executivo está convencido de que a cloud "só chegará ao consumidor final quando a classe média e as empresas de informática da Alemanha se integrarem no desenvolvimento da nuvem". A HP é conhecida como fabricante de PCs, mas oferece soluções de redes na nuvem, como software de administração e servidores.

Na Alemanha, segundo Smid, há interesse dos provedores em oferecer os serviços na nuvem. A maior parte das 3,6 milhões de empresas do país seria de médio porte, e até agora manteriam seus próprios servidores e setores de tecnologia,. O trabalho, então, é convencê-las de que a cloud pode libertar as companhias de lidarem com um setor - o de informática - que não faz parte de suas atividades principais.

Mas além das empresas, convencer a classe média alemã a confiar seus dados à nuvem não parece tarefa fácil, e por isso o trabalho dos provedores é no sentido de eliminar o ceticismo em relação à segurança do armazenamento remoto de informações. Segundo o presidente da Microsoft no país, Ralph Haupter, ganhar a confiança dos consumidores é um trabalho diário.

Segundo uma pesquisa da Bitkom, divulgada durante a CeBIT, uma em cada dez usuários de internet na Alemanha se nega a usar a nuvem porque tem medo de que seus dados sejam roubados. Outros 70% não usam a nuvem porque acha muito complicado fazê-lo ou porque não vê nenhum benefício nisso.

Deutsche Welle
Deutsche Welle -