Eletrônicos

publicidade
29 de novembro de 2012 • 15h34

Empresa oferece serviço de impressão 3D de fácil acesso

Acesso facilitado pode funcionar como atalho para consumidores ansiosos por imprimir em 3D
Foto: Divulgação
 

A impressão 3D, tecnologia em constante ascensão que deve revolucionar a indústria - transformando desde conserto de carros até a biomedicina - está se popularizando e pode logo chegar à Staples, uma das maiores redes mundiais de lojas para escritórios, com sede no Brasil. Uma unidade europeia da companhia anunciou, em conjunto com a empresa irlandesa Mcor, planos para levar a impressão 3D a lojas da Staples no continente no início de 2013. O projeto deve se expandir para outros países em seguida, de acordo com informações do Mashable.

Infográfico: Como funciona uma impressora 3D? Veja passo a passo e conheça modelos

Chamado "Staples Easy 3D", o serviço tem uma premissa bastante simples: clientes sobem arquivos em CAD (ou outras extensões compatíveis) ao escritório central da empresa, que então processa o pedido em uma das máquinas da Mcor. Os consumidores podem então ir até a loja buscar seu produto personalizado ou recebê-lo onde quiser. Assim, um dos maiores obstáculos à disseminação dessa tecnologia, que é o preço das impressoras 3D, é superado e permite às pessoas maior contato com essa novidade.

"Partes customizadas, protótipos, objetos de arte, modelos arquitetônicos, projetos de medicina e mapas em três dimensões são objetos de que os clientes necessitam ter à sua disposição hoje, de uma maneira mais acessível", afirmou Wouter Van Dijk, presidente da divisão de impressão da Staples na Europa.

O acesso facilitado a serviços de impressão pode funcionar como um atalho para consumidores ansiosos em começar a imprimir em 3D. Essa maneira de atender um público ávido por experimentar tal novidade também foi disponibilizada pela MakerBot nos Estados Unidos. Apesar dos equipamentos ainda considerados caros (a própria MakerBot vende máquinas por cerca de US$ 2,3 mil), executivos da Mcor acreditam que o mercado seguirá os passos da impressão em duas dimensões, progredindo rapidamente com melhores equipamentos, maior acessibilidade e preços menores. Ainda assim, os responsáveis não creem que as pessoas, em geral, terão impressoras 3D em suas casas no curto prazo - pensamento contrário ao de empresas brasileiras de sucesso.

"Até que chegue esse momento (de popularização das impressoras 3D), consumidores vão procurar por escritórios que ofereçam esses serviços", disse o CEO e cofundador da Mcor, Conor MacCormack. O anúncio, feito em uma feira mundial realizada na Alemanha, não incluiu detalhes sobre o preço ou tempo de esperar por cada produto impresso.

Terra Terra