Eletrônicos

publicidade
30 de junho de 2012 • 10h51 • atualizado às 10h56

Google aposta em demanda e cria gadget do zero pela 1ª vez

Quando o Nexus Q está ativado, o anel de luzes LED acompanha a batida e o ritmo da música
Foto: Ariel Zambelich/Wired / Divulgação

Uma pequena esfera preta com luzes LED conhecida como Nexus Q é o primeiro hardware desenvolvido do zero pelo Google. Ele é uma central de mídia que conecta o Android a dispositivos como TVs e aparelhos de som pela casa do usuário - reproduzindo nesses aparelhos músicas e vídeos da loja multimídia da companhia, o Google Play, ou até mesmo do YouTube. O aparelho, mostrado na quarta-feira pelo Google, lança a pergunta: o que será que a gigante das buscas pretende ao se arriscar na área do hardware e lançar seu primeiro gadget?

A revista americana Wired visitou o laboratório do Google que projetou o gadget antes mesmo da companhia anunciar o Nexus Q na quarta-feira, no Google I/O, seu evento anual para desenvolvedores em São Francisco, onde também surgiu o Nexus 7, tablet fabricado em parceria com a Asus. Segundo a revista, a principal razão que levou o Google a se arriscar no mercado de eletrônicos de consumo é um dos pilares mais básicos da economia: há uma demanda enorme para um aparelho como esse.

Os usuários de iPhone têm dezenas de acessórios - fabricados pela Apple ou por outras empresas - para alavancar a fidelidade à marca à disposição, enquanto os usuários de Android - sistema que já roda em 400 milhões de aparelhos das mais diversas marcas em todo mundo - têm muito poucos. Com o Nexus Q, esses usuários têm pelo menos um aparelho Android importante para considerar.

O problema, diz a Wired, é que o Google é uma empresa de software e de publicidade online, e esse DNA corporativo é difícil de mudar. Mas o Google precisa fazer isso se quiser continuar a ser relevante, já que a explosão de smartphones nos últimos cinco anos não está só misturando a relação entre smartphones e computadores, mas também entre smartphones e TVs. Todas as empresas estão em uma corrida para emplacar um dispositivo próprio nessa convergência, e o Google quer um papel importante neste futuro.

O Nexus Q também representa um passo crítico para o Google: é a primeira tentativa em hardware após a compra da Motorola. O Google decidiu que todas as peças serão fornecidas por fabricantes americanos - o que permite que os engenheiros da empresa visitem qualquer passo da cadeia de produção a qualquer momento.

Mas apesar de fabricado por americanos, será que o Nexus Q será comprado por americanos? A Wired afirma que, se a análise for focada somente no hardware, o aparelho é um ótimo produto e fácil de usar. Mas há problemas.

O primeiro é o preço: o Nexus Q chegará às lojas por US$ 299. Além disso, a falta de suporte a outras plataformas, como iOS e Windows Phone, impossibilita que o aparelho seja usado por uma vasta área do público ligado em novidades de tecnologia. O aparelho também depende 100% da loja do Google Play, o que vem sendo encarado por alguns usuários como uma tentativa única de recrutar usuários para seu ecossistema.

A novidade Nexus Q chegará às lojas em julho, e inicialmente apenas nos Estados Unidos. Resta dar tempo para ver se a aposta do Google é correta e se ele terá o papel relevante que a empresa imagina.

Terra