PUBLICIDADE

iPad completa 2 anos; relembre a trajetória do tablet da Apple

27 jan 2012 10h24
| atualizado às 10h33
Publicidade

O iPad veio à tona em 27 de janeiro de 2010, há exatos dois anos, mas sua origem remonta oito anos antes, quando Steve Jobs estava mais preocupado em fazer um smartphone, o iPhone. De acordo com a biografia de Steve Jobs, de Walter Isaacson, a tela de interface multitoque foi desenvolvida em 2002, quando o então CEO desafiou sua equipe a criar algo superior ao tablet com caneta stylus no qual a Microsoft estava trabalhando. Um amigo seu, engenheiro da empresa de Bill Gates, talvez sem saber, provocava Jobs ao falar do projeto que mudaria o mundo. Mal sabia ele que oito anos depois era o tablet de Jobs que causava uma verdadeira revolução tecnológica ao introduzir algo novo e que seria o primeiro de um mercado em larga expansão desde então.

iPad foi anunciado por Steve Jobs em 27 de janeiro de 2010
iPad foi anunciado por Steve Jobs em 27 de janeiro de 2010
Foto: AFP

Quiz: o iPad 2 está no mercado; o que você sabe do tablet?

Além da tela touch screen de multitoque do iPhone, uma patente de 2004 registrada no nome de Steve Jobs e Jonny Ive já dava sinais claros do que estava por vir, como bem alerta o autor da biografia de Jobs. A imagem anexada no pedido traz um homem tocando em um dispositivo móvel que é o protótipo do que se tornou o iPad. Ainda segundo o livro Steve Jobs, com o iPhone consolidado, os tablets voltaram à pauta da Apple em 2007. Mesmo deixado de lado por Jobs, a ideia de fazer um tablet nunca saiu de sua cabeça, e mesmo declarações como a que deu em 2003 de que a empresa não tinha planos de fazer um tablet, e de que "as pessoas querem teclados. Os tablets atraem os ricos que já têm um monte de outros PCs e aparelhos" foram só para despistar.

Em 27 de janeiro de 2010 o mundo conheceu pelas mãos de Steve Jobs o iPad, um tablet que era explicado como sendo um híbrido de iPhone e notebook e estava disponível apenas na cor preta. Com 680 grmas, 1,27 cm de largura e uma tela de 9,7 polegadas, o iPad vinha equipado com o processador Apple A4 de 1 GHz, conectividade Wi-Fi (802.11n) e 3G (GSM ou cartão micro-SIM), armazenamento de 16 GB, 32 ou 64 GB (em memória Flash), Bluetooth, alto-falantes, microfone, teclado virtual e uma bateria que dura até 10 horas. E sem suporte para Adobe Flash, característica que o colocou no centro do debate sobre Flash e HTML 5.

Mais fino e nas cores preto e branco (é mais um prata, em realidade) o iPad 2 também foi apresentado em março de 2011 por Steve Jobs, que estava afastado da Apple pelo câncer que mais tarde o levaria de vez. Pesando 590 gramas, o iPad 2 é 33% mais fino que a versão anterior. Com as mesmas 9,7 polegadas e um processador mais potente, duas vezes mais rápido: um Dual-Core de 1Ghz Apple A5. Por fim, o iPad 2 trazia duas câmeras, uma frontal e uma traseira, e uma capa magnética e em várias cores chamada SmartCover (vendida separadamente). Em dois anos, o iPad criou um mercado novo e, mesmo com diversos fabricantes investindo em concorrentes com Android, só agora eles começam a ameaçar, de leve, seu reinado.

Fonte: Terra
Publicidade