Eletrônicos

publicidade
23 de abril de 2012 • 20h04

Microsoft tenta patente de áudio 3D com realidade aumentada

Sistema rastrearia posição do usuário para garantir 3D em qualquer posição do cômodo
Foto: USPTO / Divulgação
 

A Microsoft entrou com um pedido de patente de uma tecnologia de realidade aumentada para sistemas de som 3D. Hoje, os sistemas conhecidos como surround-sound, em que caixas distribuídas no ambiente simulam sons vindos de diferentes direções - um carro que se aproxima da direita, um pássaro que canta do alto - funcionam bem quando o usuário está na posição perfeita. Mas, se senta no canto da sala, por exemplo, a experiência não é clara, e é este problema que a patente da companhia de Redmond tenta resolver. As informações são do TechCrunch.

Segundo o formulário entregue ao órgão americano de patentes no fim de abril, a tecnologia vai usar um "sistema de câmera profunda" para entregar o conteúdo com precisão, independente da posição no cômodo. A tecnologia coleta dados do ambiente e do ouvinte e envia comandos à unidade central para que os sons sejam 3D em relação àquele contexto específico.

A novidade seria muito bem vinda para jogos do Xbox Kinect, que envolvem muitos movimentos dos usuários. Como o jogador muda a posição da cabeça e do corpo, o som surround nem sempre continua adequado.

O formulário da patente descreve e ilustra o sistema da mesma forma que o do Kinect, funcionando a partir de uma câmera com sensor de movimento, mas não chama o dispositivo de Kinect, com todas as letras. Tudo é referenciado como "câmera de profundidade", um dispositivo que usa sensor com imagem em RGS, projetor de laser infravermelho e sensor de profundidade para coleta de dados - os mesmos componentes do acessório do Xbox 360.

Uma diferença é que a nova tecnologia descreve o usuário como portador de um ou mais microfones, que percebem as propriedades acústicas do como. O uso de microfones para esse propósito já existe nos sistemas de surround atuais que se autocalibram. A patente da Microsoft ainda inclui o uso de sensores de movimento por parte do usuário, também com o objetivo de coletar informações sobre orientação e rotação, e os dados se somam à percepção obtida pelo sistema a partir da câmera.

A tecnologia funcionaria, de acordo com o formulário de requisição da patente, tanto com fones de ouvido quanto com sistemas de som 3D já existentes.

Terra