PUBLICIDADE

Sistema transforma bolsos em recarregadores para eletrônicos

6 jun 2011 13h15
| atualizado às 13h20
Publicidade
Beatriz Smaal

Um time de pesquisadores do Instituto Nacional de Tecnologia de Informação e Comunicação do Japão (NICT) demonstrou, na Wireless Japan 2011, um sistema de transmissão de energia sem fio, usando para isso um dispositivo de comunicação 2D flexível.

Sistema de transmissão de energia sem fio foi criado pelo Instituto Nacional de Tecnologia de Informação e Comunicação do Japão
Sistema de transmissão de energia sem fio foi criado pelo Instituto Nacional de Tecnologia de Informação e Comunicação do Japão
Foto: DigInfo / Reprodução

Encoste para funcionar
Em entrevista para a DigInfo, o estudioso participante do projeto, Takuya Inouve, explica que "quando um sinal de alta frequência de 2,4 GHz é transmitido pela folha, ele se torna um objeto sem fio condutor. A estrutura da folha é tal que captura ondas eletromagnéticas, sendo então capaz de conduzir eletricidade e se comunicar".

Dessa forma, diversos equipamentos eletrônicos começam a funcionar quando pousados em uma mesa com a folha condutora, sem que haja necessidade de conectores ou qualquer tipo de fio para levar a energia até o equipamento.

Por se tratar de um sistema que concentra as ondas eletromagnéticas em determinados pontos ao invés de distribuí-la igualmente pela folha, uma pessoa pode colocar equipamentos em locais definidos e os ligar, todos de uma só vez.

"Nós emitimos um sinal piloto e mensuramos a direção do sinal para estimar a posição (onde a energia será concentrada), então focamos nessa posição. A eficiência de conversão do elemento principal chega a 40%, ou seja, não é algo que envie uma grande carga". Por enquanto, a potência armazenada pelo sistema ainda é pequena (apenas 1W).

Os planos futuros miram o envio da tecnologia para as fabricas de tecidos. Com isso, seus bolsos acabariam por se tornar condutores de energia, carregando os eletrônicos enquanto eles estiverem em contato com o sistema criado pelos estudiosos.

Fonte: TecMundo
Publicidade