0

Tecnologia cria "nanoflor" capaz de armazenar energia solar

15 out 2012
14h22
atualizado às 14h32
  • separator

Cientistas da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, criaram "flores" de sulfeto de germânio (GeS), um material semicondutor, cuja tecnologia pode gerar a próxima geração de células solares e dispositivos de captação e armazenamento de energia.

Dispositivo à base de sulfeto de germânio pode ser a próxima geração de células solares
Dispositivo à base de sulfeto de germânio pode ser a próxima geração de células solares
Foto: North Carolina State University/Linyou Cao / Divulgação

Para produzir as "nanoflores", os cientistas aquecem pó de GeS até que ele comece a vaporizar. A partir deste vapor, vão sendo formadas camadas de 20 a 30 nanômetros de espessura, com até 100 micrômetros de comprimento. Como o processo gera várias camadas, a aparência final lembra a flor de um cravo.

O GeS, material no qual a "nanoflor" é confeccionada, é semelhante ao grafite, mas sua estrutura atômica que faz com que ele tenha mais potencial para absorver energia solar e convertê-la em energia utilizável. Isso torna o GeS atraente para uso em células solares, além de ser um elemento relativamente barato e não tóxico - as células solares regulares geralmente usa materiais caros e bastante tóxicos.

Além disso, as nanoflores tem "pétalas" de espessura extremamente fina, mas com um grande área de superfície. De acordo com o professor Linyou Cao, coautor de um artigo sobre a pesquisa, é justamente a boa área de superfície em uma pequena quantidade de espaço que pode vir a melhorar a capacidade de baterias e dar mais potencial a supercapacitores através desta tecnologia.

Veja também:

Por que o Facebook bloqueou conteúdos na Austrália?
Fonte: Terra
publicidade