2 eventos ao vivo

Tecnologia cria "nanoflor" capaz de armazenar energia solar

15 out 2012
14h22
atualizado às 14h32

Cientistas da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, criaram "flores" de sulfeto de germânio (GeS), um material semicondutor, cuja tecnologia pode gerar a próxima geração de células solares e dispositivos de captação e armazenamento de energia.

Dispositivo à base de sulfeto de germânio pode ser a próxima geração de células solares
Dispositivo à base de sulfeto de germânio pode ser a próxima geração de células solares
Foto: North Carolina State University/Linyou Cao / Divulgação

Para produzir as "nanoflores", os cientistas aquecem pó de GeS até que ele comece a vaporizar. A partir deste vapor, vão sendo formadas camadas de 20 a 30 nanômetros de espessura, com até 100 micrômetros de comprimento. Como o processo gera várias camadas, a aparência final lembra a flor de um cravo.

O GeS, material no qual a "nanoflor" é confeccionada, é semelhante ao grafite, mas sua estrutura atômica que faz com que ele tenha mais potencial para absorver energia solar e convertê-la em energia utilizável. Isso torna o GeS atraente para uso em células solares, além de ser um elemento relativamente barato e não tóxico - as células solares regulares geralmente usa materiais caros e bastante tóxicos.

Além disso, as nanoflores tem "pétalas" de espessura extremamente fina, mas com um grande área de superfície. De acordo com o professor Linyou Cao, coautor de um artigo sobre a pesquisa, é justamente a boa área de superfície em uma pequena quantidade de espaço que pode vir a melhorar a capacidade de baterias e dar mais potencial a supercapacitores através desta tecnologia.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade