Hardware e Software

publicidade
17 de agosto de 2012 • 17h49 • atualizado em 17 de Agosto de 2012 às 21h23

Cientistas armazenam 700 TB em 1 grama de DNA

DNA surge como alternativa ao armazenamento de dados
Foto: Flickr/Widdowquinn / Divulgação
 

Pesquisadores da universidade de Harvard, nos Estados Unidos, conseguiram armazenar 70 bilhões de cópias de um livro - ou 700 terabytes - em um grama de DNA, noticia o site VentureBeat. O experimento aponta para a criação de um novo sistema de armazenamento de dados. Teoricamente, cerca de 4 gramas de DNA armazenariam os dados digitais criados pela humanidade em um ano, diz artigo no site da Harvard Medical School.

Segundo o site Mashable, primeiro os cientistas converteram o conteúdo do livro em código binário. Depois, eles atribuíram a cada 0 e 1 da codificação uma base do DNA e sintetizaram o código. Na sequência, o DNA foi compactado em partes menores.

A margem de erro no processo foi de apenas 10 bits corrompidos.

Conforme o The Guardian, o DNA poderia ser o novo HD. Usando tecnologias de sequenciamento disponíveis no mercado, é relativamente simples transformar o livro novamente num formato comum, como o HTML, o que facilitaria sua popularização. Além disso, o dado gravado no DNA dura "milhares" de anos, e tem como base um código universal que deverá ser facilmente interpretado por gerações futuras, apontou o estudo.

Outra vantagem apresentada pela técnica é o espaço físico. Um grama de DNA pode armazenar 455 bilhões de gigabytes, ou mais de 100 bilhões de DVDs, revela a pesquisa.

O problema para o uso imediato da tecnologia, diz o Guardian, é o custo atual dos sistemas de sequenciamento do DNA, considerado elevado se comparado aos meios de armazenamento e leitura das informações. Ainda deve levar 10 anos para que essas ferramentas possam superar os HDs e memórias flash atuais, calcula o Guardian.

Terra