1 evento ao vivo

Software capaz de "prever" crimes é testado nos EUA

9 jul 2012
16h19
atualizado às 19h14

Um programa chamado PredPol é capaz de estimar onde novos crimes, como assaltos, podem acontecer. Segundo o site da CNN, o software calcula suas previsões baseado nos locais e horários nos quais aconteceram crimes anteriormente e em informações sociológicas sobre comportamentos criminosos. O algoritmo utilizado foi originalmente aplicado na previsão de réplicas de terremotos.

O software PredPol usa o mesmo algoritmo aplicado na previsão de réplicas de terremotos e tem apresentado resultados satisfatórios
O software PredPol usa o mesmo algoritmo aplicado na previsão de réplicas de terremotos e tem apresentado resultados satisfatórios
Foto: PredPol / Reprodução

O PredPol já foi testado por departamentos policiais no estado norte-americano da Califórnia, com resultados promissores. Nos últimos seis meses tem sido experimentado em Los Angeles, e em 2011, foi testado na cidade de Santa Cruz. Os policias desta última usaram o programa para estimar onde poderiam acontecer roubos, e o índice de assaltos caiu 19% na cidade durante o ano passado.

Apesar de o programa apresentar desempenho satisfatório, existem alguns empecilhos para sua adoção oficial pela segurança pública. Autoridades dizem que não há verba suficiente para implementar o software e adquirir dispositivos que o rodem. E ainda há a forte cultura analógica que permanece presente nos métodos policiais.

Mas a tecnologia está disposta a mudar este panorama, apresentando cada vez mais soluções para auxiliar agentes de segurança. Atualmente já existe, por exemplo, um sistema com microfones que detectam barulho de tiros a longas distâncias, capaz de indicar a localização aproximada onde ocorreram os disparos e alertar a polícia.

No mês passado, o prefeito de São Francisco anunciou o plano de desenvolver smartphones que permitissem aos policiais gerar relatórios diretamente da cena do crime. E alguns oficiais na Califórnia dizem que, em alguns casos, já têm mais sucesso com buscas no Google e no Facebook do que com pesquisas nos registros policiais.

Desde 2010, a IBM também vem testando programas de previsão para fins policiais, usando dados de crimes passados e informações sobre tempo e clima para identificar tendências e mapear probabilidades - métodos semelhantes aos utilizados pelo PredPol.

"O programa não substitui o trabalho da polícia", disse o analista criminal da polícia de Santa Cruz, Zach Friend, sobre o PredPol. "Quando chegam aos locais do crime, os agentes precisam continuar sendo bons naquilo que fazem", complementou.

Fonte: Terra
publicidade