inclusão de arquivo javascript

Inovações Tecnológicas
 
 

Plástico permite a impressão de componentes eletrônicos

17 de dezembro de 2012 07h35

A Universidade de Warwick, do Reino Unido, desenvolveu um experimento que permite a impressão de componentes eletrônicos. Foto: Divulgação

A Universidade de Warwick, do Reino Unido, desenvolveu um experimento que permite a impressão de componentes eletrônicos
Foto: Divulgação

Já imaginou fazer um controle remoto em casa? De acordo com experimentos da Universidade de Warwick, do Reino Unido, isso será possível em breve. Os estudiosos desenvolveram um composto plástico que conduz eletricidade, o que permite a produção de dispositivos eletrônicos por meio de impressoras 3D.

A invenção permite a impressão de objetos com trilhas eletrônicas e sensores. Isso possibilita produzir dispositivos com áreas sensíveis ao toque, como botões, e que possam ser conectados a uma placa de circuito eletrônico simples. De acordo com o professor responsável pela pesquisa, Simon Leigh, a maior vantagem da tecnologia é a impressão de soquetes para conexão, isto é, dispositivos que permitam a interligação de eletrônicos. As partes efetivamente eletrônicas são, no entanto, inseridas depois.

A equipe construiu dois controles de videogame, nos modelos joystick e direcional. O próximo passo é realizar novos estudos e experimentos que permitam a impressão de estruturas mais complexas e de, até mesmo, alguns componentes eletrônicos, como fios e cabos.

Denominado de carbomorph, o novo plástico é composto por materiais simples e baratos, o que facilita uma possível venda doméstica do produto. Segundo o professor responsável pela pesquisa, essa tecnologia pode revolucionar, a longo prazo, a forma de produzir eletrônicos pessoais.

Impressoras 3D já são uma realidade
Impressoras que produzem objetos tridimensionais já estão disponíveis no mercado doméstico brasileiro, mas de forma ainda muito restrita. Por enquanto, o custo desses dispositivos ainda é elevado, ficando em torno de R$ 4 mil.

O processo de impressão em 3D funciona de forma lenta, podendo durar horas. Para realizá-lo é necessário, primeiramente, deter um software que produza imagens em terceira dimensão. Durante a montagem, a máquina emite aos poucos pequenas camadas de material, que vão se acumulando até que o objeto tome forma. Em geral, as impressoras são utilizadas para fazer protótipos, brinquedos, miniaturas e outros tipos de dispositivos que não detêm peças eletrônicas.
Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra
Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra
  1. A Universidade de Warwick, do Reino Unido, desenvolveu um experimento que permite a impressão de componentes eletrônicos  Foto: Divulgação

    A Universidade de Warwick, do Reino Unido, desenvolveu um experimento que permite a impressão de componentes eletrônicos

    Foto: Divulgação

  2. Os pesquisadores desenvolveram um plástico que conduz eletricidade e pode ser utilizado em impressoras 3D  Foto: Divulgação

    Os pesquisadores desenvolveram um plástico que conduz eletricidade e pode ser utilizado em impressoras 3D

    Foto: Divulgação

  3. A invenção permite a impressão de dispositivos com áreas sensíveis, como botões, ou que possam ser conectados a uma placa de circuito eletrônico   Foto: Divulgação

    A invenção permite a impressão de dispositivos com áreas sensíveis, como botões, ou que possam ser conectados a uma placa de circuito eletrônico

    Foto: Divulgação

  4. A equipe construiu controles de videogame nos modelos joystick e direcional  Foto: Divulgação

    A equipe construiu controles de videogame nos modelos joystick e direcional

    Foto: Divulgação

  5. O próximo objetivo dos pesquisadores é possibilitar a impressão de estruturas mais complexas e de componentes como fios e cabos  Foto: Shutterstock

    O próximo objetivo dos pesquisadores é possibilitar a impressão de estruturas mais complexas e de componentes como fios e cabos

    Foto: Shutterstock

/inovacoes-tecnologicas/foto/0,,00.html