inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Copa converge dados e voz com base em Linux

21 de junho de 2006 10h27 atualizado às 11h10

Inteligência, versatilidade e trabalho de equipe. Atributos das seleções que brilham nos gramados alemães também entraram em campo para a montagem da infra-estrutura de tecnologia da Informação da Copa. Os milhares de envolvidos na produção do maior evento esportivo do planeta estão conectados a uma rede de convergência de dados e voz, com base em Linux, que oferece mobilidade e várias alternativas de comunicação. Tudo para deixar os profissionais de imprensa na cara do gol.

  • Leia mais notícias em O Dia
  • Acompanhe a Copa do Mundo no Terra

    Coube a Avaya projetar e administrar a rede _ a maior já criada para um evento esportivo deste porte. Ela abrange os 12 estádios, além de salas de imprensa, hotéis e pontos estratégicos, e concentra todos os serviços de comunicação e logística. Quem estiver a trabalho pode ser alcançado por em qualquer ponto por telefone ou email. E pelo celular. Se um funcionário da Fifa estiver fora do escritório, por exemplo, a ligação pode ser redirecionada para o celular, reduzindo os custos.

    Em Munique foi montado um servidor central controlando 4.500 extensões, e uma estrutura semelhante foi colocada nos estádios. Se houver uma queda na rede, cada estádio passa a funcionar por conta própria, de forma autônoma. Asssim que a conexão é reestabelecida, as bases de dados são sincronizadas e Munique volta a comandar o meio campo. O gerenciamento é feito por um software criado pela Avaya. Qualquer dispositivo com um endereço IP _ seja computador, impressora, telefone IP _ pode ser ligado a qualquer ponto e funcionar de imediato na rede.

    Outros programas foram criados com funções próprias. Um deles monitora o volume de informação em trânsito e diferencia pacotes de dados e de voz. A prioridade é para a transmissão de voz, para evitar falhas nas ligações. Outro programa monitora o funcionamento dos mais de 30 mil dispositivos conectados à rede. Se uma impressora pára de funcionar em um dos estádios, a central local é alertada e providencia o conserto.

    Até 9 de julho, todo dia será dia de final de Copa do Mundo para as equipes envolvidas no perfeito funcionamento dessa gigantesca infra-estrutura de informação, que tem tudo para marcar um gol de placa.

  • O Dia
    O Dia - © Copyright Editora O Dia S.A. - Para reprodução deste conteúdo, contate a Agência O Dia.