inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Microsoft e Polícia Federal lançam sistema contra a exploração infantil

07 de novembro de 2006 12h20 atualizado às 12h36

A Microsoft Brasil e a Polícia Federal apresentam hoje a versão local do CETS - Child Exploitation Tracking System (pronuncia-se "kéts") ou Sistema de Rastreamento de Exploração Infantil. Trata-se de um projeto internacional que tem como objetivo combater a exploração online infantil. Com a ferramenta, a polícia brasileira espera tornar ainda mais eficiente sua luta contra este tipo de crime.

  • Polícia canadense prende pedófilo que transmitia ataque via webcam
  • Hospedado na sede da Polícia Federal, o sistema tem, entre outras funcionalidades, um repositório de dados que é estruturado pelos investigadores, o que facilita o trabalho de toda a força policial. A idéia surgiu quando um policial de Toronto, no Canadá, enviou um e-mail a Bill Gates pedindo apoio na luta. O oficial canadense estava insatisfeito com a falta de recursos de tecnologia disponíveis para a tarefa de combater a exploração infantil, mas a partir da mensagem, a Microsoft começou o trabalho com o departamento de polícia e com a Real Polícia Montada do Canadá.

    Depois do pedido feito a Bill Gates, foram necessários dois anos para o desenvolvimento da ferramenta. "O CETS irá aumentar dramaticamente o poder de alcance de nossos policiais para ajudá-los a resolver casos de exploração de menores", afirma Paulo Quintiliano, Chefe da Perícia de Informática da Polícia Federal. "Antes do CETS, nosso serviço de pesquisa em fotos e arquivos tinha de ser feito manualmente tomando um tempo enorme e precioso de nossos policiais, além de dificultar a troca de informações com outras forças policiais locais e mesmo de outros países".

    Desde 2003, quando começou o desenvolvimento da solução, a Microsoft investiu mais de US$ 7 milhões no projeto. A PF brasileira foi das primeiras a demonstrar interesse no sistema e faz parte do primeiro grupo de países que receberam investimento para sua implantação. Além do Brasil, Reino Unido, Itália e Espanha adotaram o sistema CETS.

    Redação Terra