inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Estudantes de artes vendem obras na Internet

20 de dezembro de 2006 12h50 atualizado às 14h08

O colecionador Charles Saatchi lançou um site para estudantes de arte, e alguns deles já venderam obras online, enquanto a Web começa a mudar a maneira de o mundo da arte funcionar. Com a disparada dos preços da arte contemporânea, os colecionadores dizem que têm menos e menos tempo para visitar galerias e mostras e avaliar por si mesmos os trabalhos de novos artistas.

Em contrapartida, pintores e escultores em começo de carreira encontram dificuldades para obter destaque em meio à pressão do mercado por encontrar os novos astros. Para muitos, a Internet é a resposta por oferecer acesso de baixo custo a milhares de pintores, escultores e compradores e, ao mesmo tempo, oferecer um site de redes sociais ao estilo do MySpace voltado a artistas ao redor do todo.

Saatchi, uma das figuras mais poderosas do mundo das artes, ajudou a estabelecer a carreira de astros como Damien Hirst e atraiu mais de dois mil estudantes de arte para o novo site, o segundo estágio de um empreendimento anterior voltado aos artistas que obteve 20 mil colaboradores. "Existe algo de emocionante em ver o trabalho de jovens artistas pela primeira vez, antes mesmo até das mostras de suas escolas", afirmou em comunicado o colecionador, famoso pela discrição.

O site chamado Stuart (abreviação de "student art") está acessível como link em www.saatchi-gallery.co.uk, o endereço online da galeria do colecionador. Saatchi prometeu que não compraria qualquer das peças exibidas no site por pelo menos um ano, a fim de tentar promover mais independência à empreitada.

Para alguns estudantes de arte que enfrentam dificuldades para se sustentar com seu trabalho, o Stuart é uma maneira de ganhar destaque ¿e dinheiro. "Estou no site porque desejo vender o meu trabalho", disse Ben Young, de 33 anos, que estuda no Central Saint Martins College, em Londres. "E, obviamente, todos esperamos que Charles Saatchi esteja vendo e magicamente apanhe o telefone e compre todos os nossos trabalhos."

Embora a realidade fosse menos sensacional, no caso de Young, ele vendeu um quadro duas semanas depois de postar imagens do trabalho e alguns dados pessoas no site.

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.