inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Brasil Telecom confirma bloqueio ao YouTube

08 de janeiro de 2007 16h24 atualizado às 19h07

A Brasil Telecom está mesmo bloqueando o acesso ao site YouTube para os seus assinantes. A medida, confirmada hoje pela assessoria de imprensa da empresa, cumpre a ordem judicial do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, determinada por liminar na terça-feira passada. O bloqueio, antecipado por Terra no sábado com base em relatos de usuários e blogs, torna o site inacessível por conta da ação movida pela modelo Daniela Cicarelli e pelo namorado Tato Malzoni, flagrados em cenas íntimas em uma praia espanhola.

  • Fórum: deixe a sua opinião sobre a disputa
  • Brasileiros relatam bloqueio ao YouTube
  • Caso ganha repercussão internacional
  • Advogado diz que bloqueio não é censura
  • Questão é controversa, diz advogado
  • Cicarelli pode tirar YouTube do ar no Brasil

    De acordo com a assessoria de imprensa da Brasil Telecom, o bloqueio é gerado no backbone - a infraestrutura de transferência de dados entre o Brasil e outros países - da empresa. A operação confirma a informação de Rubens Decoussau Tilkian, advogado do Cicarelli e Malzoni, de que o bloqueio seria efetuado desta forma - ele não revelou os nomes das companhias porque "o processo corre em segredo de Justiça".

    A assessoria de imprensa da Embratel, que também detém um backbone, informou que a empresa já foi notificada pela Justiça, e que está efetuando uma análise técnica para viabilizar o seu cumprimento. Na semana passada, o desembargador Ênio Santarelli Zuliani havia esclarecido, no entanto, que o bloqueio era exigido somente para o vídeo do casal e não para o site inteiro.

    Relatos

    No sábado, usuários da Brasil Telecom relataram que não estavam mais conseguindo acessar o YouTube. O técnico em informática Alex Pereira Leite, de Goiás, escreveu que entrou em contato com a central do assinante, mas não obteve sucesso em descobrir a razão do bloqueio. "Conversei com vários amigos que tem o serviço por outras empresas, como Virtua ou Velox, e estes acessam normalmente o site", explicou. Assinantes do provedor Speedy também não encontram dificuldade.

    A ilustradora Samanta Flôor, de Pelotas (RS), percebeu que o YouTube estava inacessível por volta das 17h25, mas não viu necessidade de ligar para a Brasil Telecom. O possível bloqueio ao site também se espalha por blogs brasileiros. "Amigos, sejam bem vindos novamente a 1984, ou seria 1964?", escreve o Novo-Mundo.org. "E-mails vindos de vários cantos do país reportam grande instabilidade em quase todo os serviços do Google, como Orkut, Gmail e o próprio site de Buscas", relatou o blog Google Underground (O YouTube foi adquirido pelo Google, no ano passado).

    Inicialmente, Cicarelli e Malzoni entraram com duas ações, uma das quais exigindo que o vídeo fosse removido dos sites YouTube, Globo e Internet Group (IG), que faz parte das operações da Brasil Telecom. Somente as duas empresas brasileiras acataram decisão judicial. Por isso, uma terceira ação foi movida contraa o YouTube, na verdade, uma plataforma na qual os usuários publicam os próprios vídeos.

    Boicote

    Um site brasileiro já iniciou uma espécie de boicote à modelo Daniela Cicarelli. O endereço www.boicoteacicarelli.com recebe comentários de usuários, a maioria, ofensiva. "Como é que um desembargador manda fechar um site e deixa a Cicarelli e o tal de Tato soltos????", diz uma das mensagens. No Orkut, foi criada a comunidade "Cicarelli Devolva o Youtube!". "quero meus vídeos de músicaaaaaa", implora um usuário.

  • Redação Terra