inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Intel anuncia lançamento de chip revolucionário

12 de fevereiro de 2007 16h44 atualizado às 17h26

Novo chip tem 80 núcleos de processamento. Foto: AP

Novo chip tem 80 núcleos de processamento
Foto: AP

A fabricante de processadores Intel apresentará um novo chip com 80 núcleos de processamento, do tamanho de uma unha, e capaz de fazer mais de um bilhão de operações por segundo, com um consumo que não supera os 62 watts, anunciou a companhia em um comunicado.

O novo chip, que poderá ser usado tanto em servidores quanto em computadores portáteis e de escritório, estará disponível em pelo menos cinco anos, tempo durante o qual serão concebidos programas adaptados a esta nova tecnologia.

Os detalhes técnicos do novo chip serão apresentados durante na conferência Integrated Solid State Circuits Conference - ISSCC, que será celebrada esta semana em San Francisco. Este microprocessador é composto de 80 núcleos de processamento integrado graças à tecnologia de 65 nanômetros e com 100 milhões de transistores em 275 milímetros quadrados: duas vezes o tamanho do chip Core 2 Duo, atualmente à venda.

Esta tecnologia, que permite a transmissão de dados para o interior do chip, abre a porta para a produção de processadores com multinúcleo (multi-core) que envolvem bilhões de transistores, explicou a Intel, acrescentando que por enquanto não se vê "o fim da Lei de Moore".

A Lei de Moore, nome de um dos fundadores da Intel, Gordon Moore, prevê a duplicação anual do rendimento dos circuitos integrados (memórias e processadores). Em 1975, Moore revisou sua estimativa e sustentou que a duplicação deverá ocorrer a cada 18 meses.

Para a empresa, os processadores com multinúcleo servirão principalmente a aplicações que, sobretudo, consomem muita potência, como a inteligência artificial, a comunicação em vídeo instantânea, video games em 3D, motores de busca multimídia e o reconhecimento de voz em tempo real. "Técnicas antes consideradas ficção científica de séries como 'Jornada nas Estrelas' podem se tornar realidade", concluiu a Intel no comunicado.

AFP
AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.