inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Jovem com câmera 24h por dia vira ídolo na Internet

02 de abril de 2007 10h06 atualizado às 13h44

Com o slogan "perca tempo vendo outra pessoa perder tempo", o Justin.tv divulga ao vivo, durante 24 horas do dia, as peripécias de um jovem de 23 anos em um experimento que para alguns é o futuro da televisão pela internet e, para outros, pura bobagem.

» Os 10 piores vídeos de webmarketing
» Veja: vídeos mais assistidos da web
» Confira 13 micos eternizados na rede
» Polícia invade show de realidade online após trote

Nada fica escondido - nem mesmo as atividades no banheiro ou na cama - na vida de Justin Kan, um jovem de San Francisco (Califórnia) que decidiu há 12 dias usar um boné com uma pequena câmera que transmite as imagens para o site Justin.tv ao vivo.

Isso permite que seu fãs, segundo Justin há centenas, monitorem o jovem constantemente através das telas de seu computador e conversem com ele por e-mail ou "chat", em um experimento de "videoblogging".

O sucesso foi tanto que Justin.tv teve que recrutar voluntários para resolver as dificuldades técnicas do grande volume de acesso e, assim, ajudar o espetáculo a continuar.

Segundo Paul Graham, fundador da Y Combinator, uma "incubadora" de novas companhias que apoiou economicamente o Justin.tv, o plano é recrutar centenas de pessoas que, assim como Kan, fiquem com câmeras presas no chapéu.

Cada um se transformaria em seu próprio canal, de modo que os espectadores escolheriam o que fosse mais interessante em determinado momento. "Com centenas de pessoas, sempre haverá algo interessante. Por que alguém vai querer ligar sua televisão?", perguntou Graham em declarações ao jornal "San Francisco Chronicle".

De acordo com esta teoria, este será o futuro da televisão, pelo menos para o segmento formado por jovens de 18 a 35 anos, os que estão menos "presos" aos televisores. No entanto, nem todos concordam com esta idéia.

Andrew Keen - autor do livro "The Cult of the Amateur" (O culto do amador) - acredita que este novo tipo de "narcisismo digital" não só está fadado ao fracasso, mas seus autores lembrarão disso com vergonha depois, assim como aconteceu com o "boom" e posterior colapso das empresas "pontocom" no final dos anos 90. "Isso faz com que o Second Life (o mundo virtual mais famoso na rede) pareça a 'BBC'", disse Keen.

O fato é que a iniciativa tem até um modelo de negócio - um pouco peculiar -, que consiste em colocar banners publicitários de carros de aluguel ou as bebidas energéticas que Kan consome aos litros em seu bagunçado apartamento, onde ocorre grande parte da ação.

O Justin.tv é a mais recente versão de uma velha idéia levado ao cinema em, por exemplo, "O Show de Truman", com Jim Carrey. Voltando um pouco no tempo, o JenniCam tornou-se em 1996 um dos primeiros sites a mostrar através de uma webcâmera detalhes da vida privada de uma pessoa, no caso uma jovem chamada Jennifer.

O objetivo a curto prazo de Kan é aparecer no popular programa de televisão de Jay Leno, o que parecia ser um disparate alguns dias atrás, mas que, graças à cobertura do principal jornal da cidade, agora parece mais plausível.

Graduado em física e filosofia pela Universidade de Yale, Kan já posou coberto de espuma de barbear em um calendário com o objetivo de recolher dinheiro para as vítimas do maremoto no sudeste asiático.

As regras do site são estritas. A câmera nunca deve ser retirada, exceto para dormir, o único momento em que a própria pessoa é filmada. No mais, Kan tem uma vida normal, incluindo cuidar da Justin.tv e conversar com admiradoras que mostram interesse em uma vida que parece ser mais que normal.

Entre os incidentes que movimentaram um pouco o Justin.tv, está o susto em Kan e seus colegas quando alguém ligou para a Polícia alertando sobre uma agressão (falsa) em seu apartamento.

A Polícia entrou com as pistolas em punho, e tudo ficou gravado na web. Acompanhar a vida de Kan é, em todo caso, bastante enfadonho, assim como ler a tonelada de blogs, perfis no MySpace ou vídeos no YouTube de internautas que querem olhar para o próprio umbigo. Apesar de tudo, Kan não deixará o Justin.tv em breve. Como disse na sexta-feira, "continuarei enquanto for divertido". Divertido para ele, entenda-se.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.