inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Com o iPhone, AT&T assume a liderança da telefonia

24 de maio de 2007 16h47 atualizado às 17h01

A empresa de telefonia AT&T, cuja história remonta aos primórdios do telefone, em 1878, sai na frente no mercado dos telefones inteligentes graças ao iPhone, o inovador telefone do grupo Apple que será operado com exclusividade pela AT&T nos Estados Unidos.

O usuário do iPhone, cuja frente é inteiramente revestida por uma tela sensível ao toque, poderá navegar na internet e utilizar o aparelho como um reprodutor de vídeo, que funciona com o mesmo sistema do iPod. O telefone inteligente da Apple deve estar disponível no mercado a partir de junho, após receber o sinal verde das autoridades americanas.

Lançado inicialmente nos Estados Unidos, o iPhone custará entre 499 e 599 dólares, de acordo com sua capacidade de armazenamento, que varia entre 4 e 8 gigabytes. O telefone GSM com design revolucionário funcionará com o sistema operacional da Apple, o Mac OS X, e integrará as ferramentas de busca Google e Yahoo!, além dos mapas do Google Maps, e receberá e-mails. O iPhone também virá equipado com as conexões sem fio Bluetooth e wi-fi.

Mas tudo isso só poderá funcionar depois de assinado um contrato do usuário com a AT&T, que terá exclusividade sobre o modelo nos Estados Unidos durante cinco anos - uma eternidade para o setor.

É uma aposta a longo prazo da operadora, que volta a usar o nome histórico AT&T para sua rede de telefonia móvel, a Cingular, líder nos EUA com 62 milhões de clientes (27% do mercado), à frente das principais concorrentes, Verizon e Sprint.

Nesta semana, os aproximadamente 2.100 pontos de venda da Cingular serão caracterizados com as cores da AT&T, informou um porta-voz.

O novo nome marca um retorno às origens do grupo, que levou 20 anos para se reconstruir após o desmantelamento sofrido em 1984. A histórica companhia fundada por Graham Bell transformou-se em várias pequenas empresas, que ficaram conhecidas como "Baby Bells".

Uma delas, a SBC, foi aos poucos comprando as muitas "Baby Bells" e o que sobrava da AT&T, retomando o nome original em 2005.

A AT&T, a primeira nos EUA a comercializar os telefones inteligentes, espera vender "muitos" iPhones, mas não fixou um objetivo específico.

"Estou feliz por tê-lo conosco", declarou nesta semana o presidente Stan Sigman ao jornal USA Today. "Outros tentarão nos alcançar, mas durante um tempo ficarão para atrás".

O diretor geral da Verizon, Denny Strigl, prometeu "uma resposta muito boa" ao iPhone para o fim do ano.

Apenas 72 milhões de telefones inteligentes, aparelhos com múltiplas funções, acesso à internet e e-mail, foram vendidos em 2006, representando só 7% de um total de 1 bilhão de telefones celulares vendidos no mundo.

Segundo estudo da Gartner, no entanto, esse número deve chegar a 700 milhões de 2006 a 2009.

Já em 2011, aproximadamente 1 bilhão de telefones inteligentes terão sido vendidos, acredita a empresa de assessoria IDC. O que impulsionará esse aumento das vendas serão os serviços para telefones celulares: televisão, jogos, geolocalização, internet e publicidade.

O iPhone chegará à Europa no final de 2007 e à Ásia em 2008. Bem mais caro do que seus concorrentes, o telefone da Apple deve, no entanto, criar o próprio espaço no setor, atualmente dominado pela finlandesa Nokia, que detém 50% do mercado, seguida pelo Blackberry, da canadense Research in Motion (8,3%), pela Motorola (6,6%), pela Palm (5,5%) e finalmente pela Sony (5,1%), segundo a sociedade de estudos Canalys.

A Apple anunciou que espera chegar a 2008 com 1% do mercado de telefones celulares, o que equivale a 10 milhões de iPhones vendidos.

AFP
AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.