inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

News Corp comprará Dow Jones por US$5,6 bilhões

01 de agosto de 2007 09h54

A News Corp. anunciou nesta quarta-feira que comprará a Dow Jones por 5,6 bilhões de dólares, somando o Wall Street Journal a seu império de mídia global e encerrando um século de controle familiar de uma das principais fontes de notícias financeiras dos Estados Unidos.

O acordo, que colocou fim a longas negociações entre os membros do controle da Dow Jones, a família Bancroft, concretiza o sonho do chefe da News Corp., Rupert Murdoch, de administrar o diário financeiro.

O Journal e as demais propriedades da Dow Jones aumentam o império de Murdoch —que inclui os canais de TV Fox e a rede social online MySpace— e ajudam no lançamento do canal financeiro Fox no final deste ano.

Em comunicado conjunto, a Dow Jones e a News Corp. disseram que membros da família Bancroft que detêm cerca de 37 por cento do poder de voto da Dow Jones apóiam o negócio.

O nível de apoio representa mais da metade dos 64 por cento dos votos detidos pela família na companhia.

Os acionistas da Dow Jones ainda precisa aprovar a operação, uma etapa que analistas afirmam que está praticamente garantida, dado o ágio de 65 por cento oferecido por Murdoch na compra da companhia.

Entre outras operações de mídia da News Corp estão o programa de talentos "American Idol", da Fox Network, e o tablóide britânico The Sun, que publica fotos de mulheres de topless em sua "página 3".

ACORDO DE FUSÃO

Segundo os termos do acordo, que foi aprovado pelos conselhos de administração de ambas as empresas, os acionistas da Dow Jones receberão 60 dólares em dinheiro por cada ação ordinária ou classe B que possuam, informaram as companhias.

A Dow Jones divulgou recentemente que tinha cerca de 85,4 milhões de ações em circulação, o que valoriza a operação em 5,1 bilhões de dólares. A companhia encerrou o segundo trimestre com dívida de 392 milhões de dólares.

Os grupos não informaram detalhes sobre como calcularam o valor total do negócio.

Um membro da família Bancroft ou outra "pessoa mutuamente aceitável" será indicada para o conselho da News Corp, informaram as empresas.

Elas também concordaram com a criação de uma comissão composta por cinco membros que vai supervisionar a independência editorial das operações de notícias da Dow Jones.

Os membros incluem o presidente-executivo aposentado da Associated Press Louis Boccardi, o co-fundador do laboratório de mídia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts Nicholas Negroponte, o ex-presidente editorial do Tribune Jack Fuller, a ex-congressista do Estado de Washington Jennifer Dunn e o ex-editor da seção editorial do Detroit News Thomas Bray.

Bray também escreve para o OpinionJournal.com, da Dow Jones. O Journal publicou que ele também vai atuar como presidente da comissão.

A Dow Jones também discute um plano para a News Corp. cobrir as custas legais registradas pela família Bancroft e que somam pelo menos 30 milhões de dólares, informou uma fonte próxima do assunto na terça-feira.

A aquisição deve ser concluída na proximidade do quarto trimestre, informaram as companhias.

FAMÍLIA

Os Bancrofts estão entre um grupo de famílias com tradição editorial e que incluem o clã Sulzberger, que admistra o The New York Times, e os Chandlers, que venderam a Tribune Co este ano.

Diferente de seus pares, os Bancrofts evitaram interferir nas operações noticiosas do Journal. Mas a política de afastamento em meio a rápidas mudanças na forma como as pessoas se informam por conta da popularização da Internet fez a família ser acusada de negligenciar a companhia.

Na venda para Murdoch, os Bancrofts passam a Dow Jones para outra dinastia da mídia. Murdoch, que construiu a News Corp a partir de dois jornais australianos, também controla um império global de mídia e vê seu futuro algum dia indo parar nas mãos de seus filhos.

A família Bancroft inicialmente rejeitou a oferta do magnata de 76 anos por causa de temores de que a operação pudesse ferir a imagem do Journal e que as operações da Dow Jones seriam utilizadas para cumprir seus interesses. Muitos repórteres do Journal e outros funcionários da Dow Jones também se posicionaram contra a operação e tentaram atrair outros interessados.

"É ruim para a Dow Jones e para o jornalismo americano", disse o ex-membro do conselho da Dow Jones Jim Ottaway Jr, cuja família controla sete por cento das ações votantes da empresa.

"É triste ver o fim da tradição de 105 anos de uma família na proteção da independência da Dow Jones como um bem público", disse Ottaway em comunicado.

No final, a oferta volumosa da News Corp provou-se muito atraente para muitos membros da família resistirem e isso eliminou a possibilidade de surgimento de outras propostas competidoras.

(Reportagem adicional de Megan Davies e Paritosh Bansal)

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.