inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Blogueiro defende reformas e é preso na Arábia Saudita

02 de janeiro de 2008 08h22 atualizado às 09h40

O árabe Fouah al-Farhan, 32, que escrevia o blog alfarhan.org, foi preso pelas forças da Arábia Saudita. Segundo o site TechCrunch, em seu blog, um dos mais populares do país, Farhan discutia corrupção e defendia uma reforma no governo.

» Blogs radicais nos EUA defendem islamismo e a jihad
» Governo dos EUA contrata blogueiros para opinar em sites árabes

A prisão aconteceu no dia 10 de dezembro de 2007, enquanto o blogueiro estava em seu escritório. Duas semanas antes, Farhan já suspeitava da ação e enviou um alerta a seus amigos, conforme noticiou o site New York Times.

"Eu fui informado de que existe um mandado de um oficial de alto posto no Ministério do Interior para me investigar", pode-se ler na carta disposta no blog, atualmente mudado em defesa de uma libertação do blogueiro e mantido por outros blogueiros da rede.

Na carta, Farhan declara acreditar que a razão para sua prisão foi ter escrito sobre prisioneiros políticos no país que foram detidos sob suspeita de terrorismo, o que poderia ter gerado desconfiança das autoridades e suspeitas de que ele iniciava uma campanha online em prol dos presos.

Mais adiante na mesma carta, Farhan declara que foi recomendado a assinar uma declaração formal pedindo desculpas por seus atos, mas não tem certeza se está preparado para se retratar. "Uma desculpa pelo quê? Desculpar-me por ter dito que o governo é mentiroso por acusar aquelas pessoas de terrorismo?", explicou.

O General Mansour al-Turki, porta-voz do ministério do interior do país, explicou que a detenção foi feita para a investigação de violações específicas de leis. "Ele não está sendo preso. Está sendo questionado, e não acredito que permanecerá detido por muito tempo. Tirarão dele a informação que precisam e então deixarão que saia", explicou o general. A família permanece, entretanto, impedida de visitá-lo.

Uma comunidade de aproximadamente 200 blogueiros protesta contra a prisão e pede ajuda internacional.

Magnet
Magnet