inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Fim do Windows está próximo, dizem analistas

16 de abril de 2008 11h44 atualizado às 14h41

O avanço da tecnologia, os novos suportes informáticos e a grande quantidade de concorrentes podem fazer com que, em pouco tempo, o sistema operacional Windows do modo como é hoje se torne obsoleto e saia de circulação.

» Microsoft: computação paralela será próxima virada tecnológica
» Microsoft ampliará serviço online
» Microsoft vê avanço do Windows no mercado

Isso é o que afirmaram analistas americanos de renome em uma conferência chamada "O Windows está desmoronando" ("Windows is collapsing"), em Las Vegas, nos Estados Unidos. Estes especialistas recomendaram que a Microsoft deixe de se centrar em seu sistema operacional e aposte mais no software de uso direto na Internet.

Desde sua primeira versão de 1985 até o Windows Vista de 2007, o carro chefe da Microsoft tem sido o preferido dos usuários. Mas a hegemonia da estrela da companhia de Bill Gates pode sofrer um sério revés se não fizer mudanças drásticas em seu sistema operacional.

Os analistas Michael Silver e Neil MacDonald, da empresa consultora de tecnologia Gartner, deixaram bem claro: "A Microsoft não está respondendo ao mercado, está sobrecarregada por uma herança de quase duas décadas de códigos e decisões, e está enfrentando uma competição muito séria".

Estagnados

A Microsoft não está desenvolvendo novos produtos, mas apenas reeditando aqueles que já tem, na opinião dos consultores. Isto faz com que a complexidade do Windows Vista, a última versão do Windows, com mais de 50 milhões de linhas de códigos (o dobro do que em sua versão de 1996), seja muito instável e tenha um futuro incerto. Um erro que o impede de seguir o ritmo do turbilhão tecnológico e que o deixará estagnado.

Para Silver e MacDonald, a melhor opção para a Microsoft seria apostar menos no Windows da maneira que ele é agora e mais em programas que oferecem o mesmo que seu pacote Office, porém diretamente online.

Atualmente, os internautas têm acesso por meio da rede a programas, como por exemplo, um editor de texto ao estilo do Word. Como prova do poder que está tomando este meio, a Microsoft lançou no mês passado um pacote de Office pela Internet. Da mesma forma, o Google oferece serviços semelhantes.

Vista, um erro

O resultado desta letargia na inovação da Microsoft fica clara principalmente nas vendas. Em declarações no site ComputerWorld, Silver e MacDonald declararam que "muitos usuários não entenderam os benefícios do Windows Vista ou não o consideraram tão bom quanto a versão anterior, o Windows XP".

Isto fez com que os usuários se negassem, por um lado, a pagar o preço elevado do Vista e, por outro, a ter que se familiarizar com um sistema diferente.

Uma pesquisa realizada pela mesma consultora Gartner em 2006 mostrava que cerca de 9% das empresas que utilizavam Windows fariam a migração para a versão Vista. Entretanto, um ano depois, os resultados foram muito diferentes: apenas 1% dessas empresas fez a troca.

Terra Colombia