inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Cloud computing: a web vira extensão do seu HD

28 de julho de 2008 14h59 atualizado em 26 de novembro de 2008 às 09h28

Serviços baseados na web, como o Disco Virtual do Terra, mostram o futuro da computação. Foto: Reprodução

Serviços baseados na web, como o Disco Virtual do Terra, mostram o futuro da computação
Foto: Reprodução

Uma nova tendência tem sido apontada por muitos especialistas como a próxima revolução na informática. O conceito de cloud computing (ou "nuvem computacional") refere-se a uma troca de infra-estrutura física por uma infra-estrutura virtual.

» Veja as telas ampliadas
» Cloud computing crescerá 11% até 2012, diz pesquisa
» Fórum: opine sobre cloud computing

A idéia é de um espaço virtual - a Internet - que contém todos os dados, arquivos e programas que hoje armazenamos em nossos computadores, tornando-os acessíveis de qualquer lugar por meio da web. Um exemplo já bem conhecido é o webmail - você só precisa se conectar, de qualquer computador, e lá está seu correio virtual.

"Cloud computing é o futuro", afirma Marco Américo D. Antonio, vice-presidente na área de data center da Diveo do Brasil. No País, a migração para este modelo tem sido bastante rápida e deve se estabelecer em um ou dois anos, acredita Antonio. A virtualização de recursos, acrescenta, deve também baixar os custos para o consumidor.

Apostas no futuro
O cloud computing tem sido visto como um problema para a Microsoft, que ainda produz uma maioria de softwares tradicionais.

Segundo sua assessoria, a empresa trabalha com o modelo baseado na web há cerca de 10 anos, mas não se prende a ele, pois busca juntar o melhor dos dois tipos - cloud ou tradicional. "Não acreditamos que o software estará somente na cloud ou no hardware - trata-se de uma combinação", afirmou a assessoria da empresa no Brasil.

Para a Microsoft, a próxima evolução nos serviços corporativos será aquela que permita englobar os dois mundos. Já Antonio tem uma previsão um pouco mais enfática do futuro dominado pelo cloud computing: "O mundo será ainda mais dependente da tecnologia".

Aplicativos nas nuvens
Muitas empresas estão investindo na tendência, com maior ou menor intensidade, e o número de aplicativos baseados na web é cada vez maior.

O Google oferece o serviço Google Apps, um conjunto de aplicativos online com funções similares às tradicionalmente encontradas em pacotes "Office", como Gmail (webmail), Google Docs (gerenciador de documentos e planilhas) e Page Creator (que permite criar páginas da web). A ferramenta Google Apps possui três versões disponíveis, gratuitas ou não.

Planilhas eletrônicas são a especialidade do NumSum (em inglês), serviço gratuito que permite criar planilhas e também compartilhá-las.

Também gratuito, o Thumbstacks (em inglês) permite que o internauta crie apresentações, como slideshows, em uma interface bastante parecida à do PowerPoint. Depois, é possível enviá-la para amigos ou publicá-la na web.

A Adobe disponibiliza na web o Photoshop Express (em inglês), versão online e simplificada do software de edição imagens. É possível cortar, mudar as cores e usar várias ferramentas de edição em suas fotografias. O site ainda oferece 2 GB para armazenamento de fotos e uma galeria para exibi-las na web.

Outra opção para editar fotos online é o Snipshot (em inglês), que permite cortar, ajustar contraste, saturação, desfazer e refazer, etc. Imagens "pesadas" não são problema: é possível trabalhar com fotos de até 10 MB.

O MyPictr (em inglês) também é um serviço de edição de fotos, mas é bem mais específico. O aplicativo é destinado exclusivamente a cortar fotos nos tamanhos usados por diferentes redes sociais e outros sites, como MySpace, Facebook, Skype, Blogger, YouTube e Flickr.

O WobZip (em inglês) é um aplicativo para descompactar arquivos online. Ele aceita diversos formatos, como RAR e ZIP, em arquivos de até 100 MB. Além disso, ainda examina os arquivos com antivírus.

O Terra oferece um serviço gratuito de armazenamento na web, disponível a clientes de qualquer provedor. O Disco Virtual (em português) oferece um espaço de até 100 MB para guardar arquivos em uma conta pessoal e acessá-los de qualquer lugar do mundo, além de poder compartilhar com quem quiser.

Outra opção de armazenamento virtual é o Box (em inglês). Os preços variam de acordo com a capacidade de armazenamento, mas o site oferece uma avaliação gratuita de 14 dias.

Ainda em versão beta, o Microsoft Office Live permite acessar e editar documentos em programas como Word, Excel, Outlook e PowerPoint. Por enquanto, a versão de teste do serviço está disponível para testes apenas na Alemanha, França, Japão, Inglaterra e Estados Unidos.

Redação Terra