inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Mulher compra celular e encontra fotos pornôs

23 de setembro de 2008 11h23 atualizado às 12h15

Uma estudante universitária comprou um celular Samsung na Dick Smith Electronics, uma loja de eletrônicos de Cairns, na Austrália. Para sua surpresa, descobriu, entre as imagens armazenadas no aparelho, algumas fotos pornográficas explícitas envolvendo uma funcionária da loja.

» Fotógrafa encontra seus trabalhos à venda na web
» Polícia pede que usuários de celular filmem crimes
» Fórum: opine sobre a compra e as fotos pornôs

De acordo com notícias publicadas no jornal The Cairns Post, após comprar o aparelho, a estudante telefonou para a loja para reclamar do funcionamento. Mexendo no celular, que custou 199 dolares asutralianos, ela encontrou as 49 imagens que incluiam fotos de uma funcionária da loja, de um homem, e outras que pareciam ter sido feitas em um quarto de motel.

"Fico doente de pensar que o celular que usei junto ao meu rosto foi usado para fazer aquelas fotos. Não tenho nojo do que ela (a funcionária da loja) fez, o que as pessoas fazem em suas casas é da conta delas, mas por terem deixado o celular na prateleira para ser vendido. E se tivesse sido comprado por uma criança?", disse a estudante ao jornal.

A loja declarou que estava investigando a situação e que a funcionária não falaria enquanto durassem as investigações. Mas, no dia seguinte, a estudante decidiu que anunciaria o celular, pelo valor de 200 dólares australianos, em um leilão na Internet, com as fotos comprometedoras.

Ela queria recuperar seu dinheiro. "Eu não quero o celular e a loja, aparentemente, também não. Então vamos aceitar a melhor oferta no leilão. Estamos pedindo 200 dólares australianos, valor que paguei por este celular de segunda mão que eu pensava que era novo", disse a estudante.

Ela anunciou que o aparelho seria entregue na caixa original, com carregador, e as 49 fotos, "incluindo aquelas da equipe da Dick Smith, que algumas pessoas podem achar divertidas". Entretanto, teve que desistir da idéia. O leilão não foi aceito pelo eBay, cujas regras proíbem a comercialização de material pornográfico.

Redação Terra