inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Partido Pirata da Suécia ganha cadeira no parlamento europeu

08 de junho de 2009 10h53 atualizado às 12h11

O Partido Pirata sueco, representando eleitores que desejam mais conteúdo livre na internet, ganhou uma cadeira no parlamento europeu, mostraram os primeiros resultados das eleições no domingo.

» Partido pirata cresce na Suécia após julgamento de site
» Partido Pirata quer concorrer ao Parlamento Europeu
» Eleição parlamentar fortalece a direita na União Européia
» Fórum: opine sobre a presença do Partido Pirata no parlamento

O Partido Pirata conseguiu 7,1% dos votos na Suécia no total de votos de toda a Europa, o suficiente para ganhar um único assento. O partido quer a desregulamentação dos direitos autorais, abolindo o sistema de patente e reduzindo a vigilância na internet.

"Isto é fantástico", disse à Reuters o principal candidato do partido, Chrisitian Engstrom. "Isto mostra que há muitas pessoas que pensam que a integridade pessoal é importante e que devemos lidar com a internet e com a nova sociedade da informação da maneira certa."

Previamente um grupo obscuro de ativistas de causa única, o partido ganhou um salto na popularidade após a condenação em abril dos quatro criadores do Pirate Bay, um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos do mundo.

Apesar dos nomes semelhantes, o partido e o site não têm nenhuma relação. O partido foi criado em 2006 e discutia uma eleição geral sueca aquele ano, mas recebeu menos de 1% dos votos.

Engstrom credita o sucesso do partido à simpatia de jovens eleitores. "Nós somos muito fortes entre aqueles que têm menos de 30 anos. Eles são quem entendem o melhor do novo mundo. E agora eles sinalizaram que não gostam de como os grandes partidos lidam com estas questões."

O Partido Pirata terá uma das 18 cadeiras da Suécia, entre os 785 assentos do parlamento. "Nós usaremos toda a nossa força para defender a integridade pessoal e nossos direitos civis", disse Engstrom.

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.