inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Artista britânico usa raio X para criar fotografias

02 de setembro de 2009 13h26 atualizado às 14h17

Usando aparelhos de raio X de última geração, muitos deles emprestados de hospitais e órgãos policiais, o artista britânico Nick Veasy cria imagens fotográficas impressionantes, que podem custar milhares de dólares devido aos altos custos de produção.

» Fotos: veja série de imagens do artista
» Artista faz auto-retratos clonados e vira sucesso no Flickr; veja fotos
» Fotógrafo americano registra 'flores elétricas' sem câmera
» Artista pinta Nova York usando iPhone como tela

Os altos custos começam com o próprio estúdio do artista, em Berkshire, no sudeste da Inglaterra. Segundo informações do jornal britânico Telegraph, Veasy trabalha dentro de uma sala totalmente revestida de chumbo, a fim de se proteger da radioatividade dos aparelhos.

Fotógrafo publicitário atuante em Londres, Veasy conta que teve a idéia de usar os aparelhos de raios X quando estava fotografando adereços para um programa de televisão. Para ele, seu trabalho serve para questionar a obsessão contemporânea com a imagem e a beleza.

"Eu gosto de desafiar o modo automático com que reagimos à aparência física externa, realçando a beleza interior das coisas, muitas vezes surpreendente", disse ele em declaração ao Telegraph.

Algumas das imagens, de dimensões enormes, como a reprodução de um ônibus lotado de pessoas, foram feitas com aparelhos de raio X industriais. A imagem do ônibus, especificamente, foi realizada com um aparelho emprestado da polícia de fronteira norte-americana, normalmente utilizado para revistar automóveis.

E as imagens dos passageiros foram feitas separadamente, com o corpo de apenas uma pessoa em diferentes posições, que, posteriormente, foram digitalizadas e posicionadas dentro da imagem do ônibus vazio.

Nick Veasey possui um livro publicado com suas fotos, chamado simplesmente X-Ray, e seus últimos trabalhos serão exibidos na galeria Maddox Arts, em Londres, na Inglattera, de 30 de outubro de 2009 a 10 de janeiro de 2010. O fotógrafo também apresenta seu trabalhos no site www.nickveasey.com.

Redação Terra