inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Empresas devem cuidar mais da postura de funcionários na web

16 de setembro de 2009 16h48

As empresas devem monitorar cada vez mais a atuação de seus funcionários em redes sociais, como Twitter, Facebook e Orkut. Segundo o analista da Gartner Research, David Mario Smith, as organizações terão suas imagens associadas não mais apenas a seus produtos, mas também à atuação de seus funcionários em redes sociais. A avaliação foi feita na XIV Conferência Anual Futuro da TI, realizada no Centro de Convenções WTC, na zona sul de São Paulo.

» América Latina deve gastar US$ 293 bi em TI até 2013

Segundo Smith, o comportamento reflete uma tendência de aumento da preocupação das empresas com o que seus agregados postam em redes sociais. "Uma vez que eu me identifico como funcionário de determinada empresa, preciso ter o bom senso de ter cuidado com as informações que coloco na rede", disse.

O limite ético para a prática do monitoramento das redes não é claro, mas o especialista é enfático ao definir até onde a vigia aos funcionários pode ir. "Não se pode controlar tudo, o universo da internet é amplo demais para isso", conclui.

No Brasil, duas grandes empresas de comunicação emitiram, no último mês, comunicados internos a seus colaboradores afirmando que eles representam a empresa no Twitter. Um jornal proibiu seus repórteres de reproduzir conteúdo no Twitter e uma rede de TV definiu que artistas ligados a ela só poderiam manter perfis no Twitter relacionados a outras organizações mediante autorização expressa.

Redação Terra