inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Wikis chegam à cozinha e criam receitas coletivas online

23 de setembro de 2009 09h10 atualizado às 11h53

Exemplo de receita editável do Foodista.com. Foto: Foodista.com/Reprodução

Exemplo de receita "editável" do Foodista.com
Foto: Foodista.com/Reprodução

A era digital chegou à cozinha, e é hora de reconsiderar o velho chavão de que gente demais metendo a colher termina por produzir uma má refeição. Bancos coletivos de receitas - ou seja, grupos de desconhecidos que se unem via internet para criar e editar um conjunto de receitas- é uma ideia que vem ganhando popularidade entre os investidores.

» Site de culinária ensina receitas para seduzir mulheres
» Novos videogames atraem jogadores à cozinha
» Robô-cozinheiro faz macarrão em restaurante no Japão

A ideia é a de que mil cozinheiros trabalhando juntos podem criar uma receita melhor do que um chef trabalhando sozinho. Alguns cozinheiros argumentam que o processo coletivo priva as receitas de sua personalidade e de suas raízes. Mas os defensores da proposta acreditam estar criando uma nova autoridade culinária: a Wikipédia das receitas.

"A comida é um tema pouco explorado", diz Barnaby Dorfman, ex-executivo da Amazon.com que um ano atrás criou o Foodista.com, um dos novos sites de receitas que permitem aos usuários alterar e acrescentar detalhes às receitas encontradas. "Estamos começando a fase em que a web será realmente explorada como uma mídia para difundir o conhecimento sobre receitas e culinária".

Os sites ainda são jovens, e nem tão completos ou confiáveis quanto um bom cozinheiro poderia esperar. Mas já se pode ter uma ideia de como funcionam e de seu potencial.

Um exemplo é a receita de tabule postada por uma pessoa que se identifica como "Shiftyenomis", na seção de receitas da Wikia, uma empresa de conteúdo comercial criada por Jimmy Wales, um co-fundador da Wikipédia. Em dado momento, um usuário anônimo alterou a quantidade de trigo bulgur recomendada de 1,5 colher para 1,5 xícara; posteriormente, "Blacksteallion" revisou de novo a receita, e retornou ao montante inicial.

"Rloperena" interferiu no debate, e alterou de novo a quantidade para 1,5 xícara. Comentando que um excesso de salsa pode prejudicar o sabor da salada, ela reduziu o total sugerido de sete para quatro xícaras. Também acrescentou pepinos e pimenta verde, e ofereceu instruções mais eficazes sobre como molhar o trigo. A última revisão aconteceu em agosto, e depois disso não houve novas alterações. (Para confundir ainda mais o usuário, caso ele realize uma busca por "tabbule", encontrará uma receita completamente diferente.)

Nesse ritmo, criar a receita coletiva perfeita para o tabule pode demorar anos. Mas é bom não esquecer que as coisas costumam mudar rapidamente na internet.

A wiki de receitas, uma das 50 mil comunidades ou áreas de interesse da Wikia.com, já apresenta 40 mil receitas e muitas informações sobre ingredientes e técnicas. Desde que foi criada, em 2005, ela se tornou uma das áreas de mais rápido crescimento na Wikia.com, e seu tráfego cresceu em 60% desde janeiro passado.

Como o Foodista.com, a empreitada conta com investidores fortes, entre os quais a Amazon.com. O site recebe 6,5 milhões de visitantes ao mês nos Estados Unidos. Para os usuários, participar da comunidade tem mais valor que o simples acesso às receitas individuais. E permitir que um desconhecido altere uma receita pessoal não incomoda tanto assim.

"Desde que o original continue lá, não vejo problema em que as pessoas alterem", diz Jo Stougaard, do blog mylastbite.com. "Todo mundo mexe nas receitas que encontra". Stougaard, de Studio City, Califórnia, contribuiu regularmente para o Foodista.com, e isso a ajuda a atrair tráfego para o seu blog culinário.

Uma de suas contribuições, um "pornobúrguer" feito com presunto e carne bovina, terminou apagada do site porque atraía muitas revisões de baixo calão. Vandalismo e alterações mal intencionadas são preocupações constantes. Uma combinação de funcionários e voluntários policia os sites para prevenir alterações malévolas. Um teste foi realizado por um repórter do The New York Times, que acrescentou "um pequeno carrinho plástico" à lista de ingredientes para um churrasco de carne de porco, tanto no Foodista.com quanto na Wikia.

Dois dias mais tarde, ele recebeu uma bronca gentil de Danny, da Wikia.com: "Se você não conhece bem os wikis, sei que é tentador tentar uma gracinha qualquer para ver o que acontece. Não é nada grave; removi o carro plástico, e por isso agora o churrasco porcino vai precisar chamar um táxi se quiser ir a algum lugar".

No Foodista.com, o carro demorou mais a ser removido da receita, mas não havia registro visível de quem havia promovido a alteração, ou quando.

Ainda assim, qualquer pessoa que já tenha usado a Wikipédia compreende o valor de informação que pode ser alterada coletivamente por uma ampla comunidade de usuários. Mas será que devemos considerar que receitas são semelhantes a, digamos, a história de Seatle, ou as propriedades do cobre?

"Nossa ideia é de que existe um conceito de receita como uma visão compartilhada culturalmente", diz Dorfman. E ele acrescenta que as pessoas acreditam que as receitas variem mais do que de fato fazem. Dorfman oferece uma torta de maçã como exemplo: se pedirmos uma lista de ingredientes a 100 pessoas, as respostas serão previsíveis: farinha, maçã, canela, açucar. E mesmo as variações, como usar gordura ou manteiga na crosta, são limitadas.

A vantagem, dizem os defensores do modelo wiki, vai além da possibilidade de criar receitas coletivamente. Em sua melhor forma, uma wiki é como poder consultar aquele amigo realmente inteligente, capaz não só de cozinhar qualquer prato mas de discorrer sobre sua história.

Tradução: Paulo Migliacci ME

The New York Times
The New York Times