inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Robô ajuda cientistas no aperfeiçoamento de implantes visuais

26 de outubro de 2009 10h04 atualizado às 10h09

Robô pode reproduzir os resultados dos implantes de retina sem a necessidade de testá-los nos pacientes . Foto: CalTech/Geek

Robô pode reproduzir os resultados dos implantes de retina sem a necessidade de testá-los nos pacientes
Foto: CalTech/Geek

Cientistas da Califórnia desenvolveram um robô movido por controle remoto para ajudar a testar a efetividade das próteses visuais, como uma retina artificial, que são implantadas em deficientes visuais.

» Robô geme e reclama para simular sintomas da gripe suína
» Robô iCub ajuda cientistas a compreender seres humanos
» Empresa do Japão cria robô enfermeiro
» Siga o Terra no Twitter

Segundo o site Gizmag, a novidade tem o nome de Cyclops e permite que os médicos vejam os resultados dos implantes sem a necessidade de testá-los nos pacientes.

Esta é a primeira máquina que reproduz a visão dos cegos que recebem implantes, disse ao site CNET Wolfgang Fink, professor do California Institute of Technology, onde o projeto está sendo desenvolvido.

O robô possui uma retina artificial feita com um chip de silicone repleto de eletrodos, que estimulam as células nervosas e os gânglios da retina, responsáveis por levar a informação visual para o cérebro. O dispositivo pode usar uma mini-câmera, interna ou externa, que captura as imagens, que são processadas e transferidas para o chip.

Espera-se que a descoberta diminua o número de procedimentos desnecessários e, no futuro, ajude a promover uma maior independência das pessoas cegas.

Com o uso do robô, por exemplo, quando os pesquisadores quiserem saber quão melhor é a resolução de uma prótese da retina com 50 pixels em comparação com uma de 16, eles podem testar ambas no Cyclops antes de usá-las nos pacientes.

O Cyclops, equipado com uma retina artificial de 50 pixels de resolução, pode passar com segurança por uma sala com uma cadeira, sofá e uma mesa, e os cientistas esperam que o resultado seja o mesmo para deficientes visuais.

O dispositivo possui uma câmera móvel, podendo reproduzir os movimentos da cabeça na horizontal e na vertical. O receptor da câmera roda em uma plataforma computadorizada, que processa a imagem em tempo real.

O controle do robô pode ser feita via joystick ou via conexão de internet wireless de qualquer lugar do mundo.

"Nós temos os algoritmos de processamento de imagem rodando localmente, na plataforma do robô - mas nós queremos dar-lhe completo controle sobre suas reações", planeja Fink.

O desenvolvimento do Cyclops foi descrito em artigo para a revista Computer Methods and Programs in Biomedicine.

Geek
Geek