inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Após ataques, Google diz que pode fechar escritórios na China

13 de janeiro de 2010 04h09 atualizado às 12h31

Chineses deixam  flores e mensagens na sede do Google em Pequim. Foto: Vincent Thian/AP

Chineses deixam flores e mensagens na sede do Google em Pequim
Foto: Vincent Thian/AP

O Google anunciou que pode acabar com suas operações na China após hackers terem coordenado um ataque "altamente sofisticado" contra o gigante das buscas em dezembro passado. A empresa diz que vai conversar com o governo chinês para tentar acabar com a censura no sistema de buscas no país e que pode fechar seus escritórios na China.

» Fotos: chineses deixam flores na porta do Google
» Ativistas aplaudem Google mas não esperam que a China recue
» Após ataque, Google diz que pode fechar escritórios na China
» EUA exigem explicações da China por ataque ao Google
» Maior site de buscas na China é alterado por hackers
» Siga o Terra no Twitter

Segundo a empresa, os hackers tentaram invadir contas de email de ativistas de direitos humanos no Gmail (o serviço de email do Google). Duas destas contas foram acessadas pelos invasores que, entretanto, só teriam conseguido ver a data de criação das contas e as linhas de assunto das mensagens, sem acessar o conteúdo das mensagens.

A internet é fortemente controlada na China, país em que assuntos considerados "delicados" - como direitos humanos - são censurados pelo governo comunista. O Google cumpre as determinações das autoridades chinesas desde 2006, quando começou a operar o no país e inclusive sofreu muitas críticas por "obedecer" às restrições.

"Decidimos que não queremos continuar censurando os resultados no Google.cn e nos próximas semanas discutiremos com o governo chinês a base do que poderia ser uma máquina de buscas sem filtros dentro da lei, se possível", disse o Google em um comunicado. "Reconhecemos que isso pode significar o fim do Google.CN e potencialmente o fechamento de nossos escritórios na China", diz outro trecho do comunicado.

Considerando-se o rigor que o governo chinês tradicionalmente mostra em relação à liberdade de opinião e expressão, é provável que um acordo não seja alcançado e o Google tenha, mesmo, que fechar suas portas no país.

Redação Terra