inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Estudo assegura que e-mail faz bem para a saúde

30 de junho de 2005 18h41 atualizado às 19h42

Receber e ler e-mail é saudável, já que pode mudar os hábitos de uma pessoa. É o que afirma um estudo de cientistas da Universidade de Alberta (Canadá), publicado nesta quinta-feira pela revista American Journal of Health Promotion.

Segundo os cientistas, o fluxo constante de e-mails com sugestões e conselhos referente ao excesso de peso pode mudar as perspectivas de uma pessoa assim como seu comportamento e sua atividade física. A investigação, realizada com 2.598 trabalhadores canadenses, revelou que as pessoas que recebem e-mails deste tipo têm maiores níveis de atividade física.

No fim do estudo, elas também tinham mais confiança em suas possibilidades de fazer exercício, sendo capazes de reconhecer as vantagens dessa atividade e das mudanças na dieta. Durante o estudo, os que leram e receberam e-mail conseguireram reduzir seu índice de massa corporal (IMC), que determina se uma pessoa está gorda ou não.

Já o IMC do grupo de controle que participou da pesquisa - ou seja, dos que não receberam e-mail -, aumentou levemente, disseram os cientistas da universidade canadense.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.