inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Mobilização contra a corrupção é intensa na Web

15 de agosto de 2005 10h04 atualizado às 10h29

No Acorda Brasil, internautas deixam sua opinião. Foto: Divulgação

No "Acorda Brasil", internautas deixam sua opinião
Foto: Divulgação

Cresce a articulação popular contra o escândalo de corrupção que atinge o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT. Além das manifestações de movimentos sociais, a mobilização é intensa também no mundo virtual. Na Internet, demonstrações de indignação com a atual crise política circulam via mensagens eletrônicas, fóruns de discussão e sites criados especialmente para a promoção de campanhas de mobilização.

» Tudo sobre a crise no governo
» Fórum: opine sobre a crise no governo

Um deles é o e-indignação (www.e-indignação.com.br) que está organizando uma "marcha virtual" de São Paulo à Brasília. A campanha, colocada na Web na semana passada, atraiu até agora cerca de 91 mil internautas, cada um representando um trecho de dois metros dos 1.012 quilômetros que separam as duas cidades.

"O que as pessoas queriam fazer nós demos um formato. As pessoas querem ser percebidas", disse o webdesigner do site e um dos organizadores do projeto, Denilson Fedozzi. Segundo ele, a marcha virtual pode chegar a Brasília na semana que vem, atraindo pelo menos 506 mil pessoas. "Os registros vêm dobrando a cada dia. Hoje de manhã eram 50 mil internautas participando", disse Fedozzi.

A idéia, criada na agência de publicidade FabraQuinteiro, é montar um telão que vai exibir os resultados da marcha em um caminhão que circulará pela Esplanada dos Ministérios assim que o movimento "chegar" à capital federal.

Outro site que está recolhendo manifestações de maneira mais humorada é o Movimento Acorda Brasil (www.acordabrasil.com.br), no qual os internautas podem mandar suas fotos e mensagens com suas opiniões.

O Orkut, site de relacionamentos, traz uma lista de 154 comunidades quando se procura o termo "corrupção". A mais movimentada é a "Xô Corrupção do Mensalão", com mais de 15 mil integrantes e que pede redução do número de cargos de confiança e de ministérios, além de profissionalização da gestão pública.

Quando a pesquisa é feita por "mensalão", o serviço encontra 854 comunidades, e a mais povoada é a "Eu quero meu mensalão", com mais de 30 mil integrantes.

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.