inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Conheça os 10 piores produtos de tecnologia

20 de setembro de 2005 19h53 atualizado em 25 de setembro de 2005 às 07h58

Bob surgiu para incrementar uma interface do Windows 3.1. Foto: Divulgação

Bob surgiu para incrementar uma interface do Windows 3.1
Foto: Divulgação

Em uma década, é incontável o número de produtos e tecnologias que surgem. Alguns têm sucesso e seguem sua jornada. Outros sucumbem quase imediatamente, e outros, ainda que inacreditavelmente, continuam no mercado à disposição dos incautos compradores.

  • Veja as fotos
  • Opine!
  • Veja também: os 10 melhores

    Os editores da CNet fizeram uma lista com o que consideraram as dez piores criações da tecnologia nos últimos dez anos. Você encontrará softwares, personagens, equipamentos e até mesmo idéias que simplesmente não funcionaram, ou não tiveram todo o sucesso para o qual estavam destinados. Confira!

    1. Microsoft Bob
    Bob nasceu como uma tentativa da Microsoft de incrementar uma interface do Windows 3.1, mas não teve sucesso. Segundo a Wikipedia, "Microsoft Bob era um projeto gerenciado por Melinda French, na época namorada de Bill Gates. Mais tarde, eles se casaram. Bob foi o último projeto em que ela trabalhou para a Microsoft".

    2. CueCat
    O CueCat era um dispositivo que podia ser ligado ao computador e funcionava como leitor de código de barras em anúncios ou textos impressos. Milhares foram distribuídos em lojas dos Estados Unidos, mas o dispositivo gerou controvérsias a respeito de segurança e privacidade. Nem o site da empresa existe mais.

    3. iSmell da DigiScents
    A DigiScents criou um dispositivo que prometia inundar a Web com... aromas! Ou seja, além de janelas pulantes, anúncios inconvenientes e MIDIs ruins, entre outras pragas da vida online, o internauta correria o risco de ser exposto a cheiros, dependendo da página que visitasse. Talvez por isso a idéia não tenha dado certo...

    4. Pocket Mail
    O PocketMail ainda tem devotos espalhados pelo mundo. Ele permitia receber e enviar e-mails em qualquer lugar do mundo. Bastava compor a mensagens e ligar o dispositivo a um telefone: ele enviaria e receberia suas mensagens com tecnologia da era espacial. Mas... é possível usar WiFi, ou simplesmente ir a um cibercafé.

    5. Furby
    Bichinho peludo de olhos esbugalhados, mesmo com toda tecnologia (era um mascote que aprendia e precisava de cuidados) era um tanto estranho. Ele teria capacidade de aprender e falar, foi tido como ameaça por algumas agências de inteligência e sumiu do mercado. Renasceu recentemente, com mais recursos.

    6. Windows Me
    Windows Millennium Edition foi algo inexplicável, dizem os editores. Tinha algumas funções que iam além do Windows 98. Travava loucamente e saiu de cena com a chegada do muito mais confiável Windows 2000. Uma coisa boa do Me: a Microsoft percebeu que o usuário doméstico também queria um sistema operacional estável.

    7. iTag
    Outra idéia potencialmente boa, mas que simplesmente não foi útil. Se você escutava uma música no rádio, mas o DJ não dizia o que era, bastava apontar o iTag para o rádio e marcar a música como favorita. Depois, plugava-se o dispositivo na We,b e de uma lista de música no site da rádio viriam os dados...

    8. DVD descartável
    Esta é uma idéia que, de tempos em tempos, renasce: DVDs autodestrutivos. A Flexplay ainda opera no Japão, vendendo DVDs que, depois de abertos, podem ser vistos quantas vezes se desejar durante 48 horas. Ao final do período, ele se torna preto e inútil. E deve ser reciclado.

    9. Audrey
    Parece que em 2001 as pessoas não estavam preparadas para um bloco de plástico que, ao custo de US$ 500, servia para navegar na Internet. E o Audrey não fez sucesso. A Apple mudou um pouco a idéia, e desenvolveu um bloco de US$ 500 chamado Mac Mini. Ele não tem tela (como o Audrey tinha) mas pode, realmente, fazer muuuito mais do que apenas navegar.

    10. Teclado virtual VKB
    A idéia é que o dispositivo projete um teclado de luz em qualquer superfície plana. Mas, ao ser testado pelos editores que criaram a lista dos piores produtos, aparecia a seguinte mensagem: "O dispositivo não oferece qualquer serviço útil. Por favor, habilite qualquer serviço desejado neste dispositivo ou escolha outro". Eis aí o motivo de ele integrar esta lista.

    As listas de melhores e piores produtos da década fazem parte de uma programação especial da CNet para comemorar seus dez anos. Integram a seção The Power of Ten: the past, present and future of digital living, que traz uma série de listas no estilo "Top Ten". Confira no endereço www.cnet.com/4520-11136_1-6247030-1.html?tag=eyebrow

  • Redação Terra