inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Metade dos e-mails é mal interpretada, diz estudo

14 de fevereiro de 2006 15h33 atualizado às 17h36

Uma pesquisa realizada pelo Journal of Personality and Social Psychology aponta que em mensagens de e-mail ou em bate-papos virtuais há uma chance de apenas 50% de o leitor interpretar corretamente o tom das frases do interlocutor. O estudo ainda aponta que quem lê a mensagem acha que está correto 90% das vezes.

Em entrevista à Wired, o pesquisador Nicholas Epley disse que "é assim que discussões sem sentido começam". "Pessoas da nossa pesquisa estavam convencidas que haviam entendido corretamente o tom de voz de um e-mail, quando na verdade a chance de acerto é a mesma da de erro", completou.

A pesquisa foi conduzida com 30 duplas de universitários, que deveriam discutir determinados assuntos como, por exemplo, comida ou o tempo, assumindo um tom sério ou sarcástico. Os que enviaram as mensagem tiveram a impressão que a pessoa com quem conversava havia entendido 80% das mensagens.

"As pessoas pensam freqüentemente que seu tom ou emoção de suas mensagens é óbvia porque 'ouvem' o que entendem dizer na sua cabeça ao digitar," explicou Epley. Segundo o pesquisador, a razão para 90% das pessoas acharem que interpretam corretamente é o egocentrismo. O cientista sugere que as pessoas não são tão boas em interpretar a perspectiva alheia quanto podem achar.

"Mensagens pela Internet são muito fáceis de serem mal interpretadas e podem criar discussões por razões banais", disse Nancy Flynn, autora de livros guia de regras de e-mail e mensagens instantâneas, à Wired. "Muitas discussões judiciais começam por e-mail. As pessoas escrevem coisas muito estúpidas em e-mails corporativos", completou.

Redação Terra