0

Brasil é o país com mais censura, diz o Google

20 abr 2010
20h46
atualizado em 21/4/2010 às 11h58

O Brasil foi, de julho a dezembro de 2009, o país com maior censura ao Google.

O Google divulgou um mapa com a censura dos governos no mundo
O Google divulgou um mapa com a censura dos governos no mundo
Foto: Reprodução

» Google rejeita pedido de censura do governo australiano
» RSF alerta para extensão da censura na internet no mundo
» Site do Google em Hong Kong sofre "censura intermitente"
» Siga o Terra no Twitter

De acordo com o próprio Google, que lançou uma ferramenta - o Google Government Requests - de acompanhamento de pedidos de governos de todo o mundo para a retirada de conteúdo, foram 291 pedidos no Brasil, que lidera com folga o levantamento. A Alemanha, segunda colocada, tem 188.

O Brasil, segundo o mesmo levantamento, também lidera os requerimentos de informações, com 3.663. Os Estados Unidos, em segundo lugar, fizeram 3.580. Boa parte dos requerimentos, aponta o The Wall Street Journal , envolve o Orkut, o mais popular site de relacionamentos do país.

O Google considera censura não apenas os pedidos para retirada de conteúdo no ar em sites como o serviço de vídeos YouTube como também entrega de dados que envolva investigações criminais. É o caso do Orkut, que tem participação expressiva nas denúncias de casos de pedofilia.

Em resposta, o Ministério Público federal de São Paulo criticou o Google por definir como censura os pedidos para entrega de informações sobre criminosos. "Desde quando ordens judiciais para entregar dados de criminosos é censura?", questionou em seu perfil no Twitter. "É errado o Google classificar como censura atos judiciais legítimos de um país democrático".

O levantamento exclui a China, onde o Google praticou censura de conteúdo nas buscas - que não ocorre no Brasil. Após a invesão de e-mails de ativistas de direitos humanos, em janeiro, o Google acabou encerrando suas operações na China em março. Também está de fora o Vietnã, país onde o Google enfrenta problemas semelhantes aos da China.

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade
publicidade