0

Cabral diz que quer banda larga em todo RJ até 2014

5 abr 2011
19h16
atualizado às 19h31

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, disse nesta terça-feira que "a falta de democracia anda de mãos dadas com a falta de acesso à tecnologia", durante a inauguração do Fórum de Líderes do Setor Público da América Latina e Caribe. O governador fluminense afirmou que pretende implantar acesso a internet banda larga em todo o Estado até 2014.

Governador do Rio quer implantar banda larga em todo o Estado até 2014
Governador do Rio quer implantar banda larga em todo o Estado até 2014
Foto: EFE

"Esse é o nosso desafio. Já está em estudo uma parceira público-privada que permita que o Rio de Janeiro se torne o primeiro estado digital do Brasil. Esse tema é fundamental porque tem a ver com democracia, informação e formação para os nossos jovens", disse o governador.

"Estamos vendo como regimes políticos no Oriente Médio utilizam a possibilidade da tecnologia para o controle dos cidadãos", explicou Cabral, durante o primeiro dia do ciclo de conversas, realizado em Washington. "Deveria ser justamente o contrário, as novas tecnologias de informação são parte do processo do avanço democrático", sustentou.

Entre os participantes do fórum, organizado pela Microsoft, estão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; a presidente de Trinidad e Tobago, Kamla Persad-Bissessar; o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, e vários ministros latino-americanos.

Cabral, jornalista de formação, destacou a importância das redes sociais no aprofundamento e consolidação das democracias, e deu o Brasil como exemplo. "Tanto o presidente Lula como a nova presidente Dilma Rousseff apostaram na modernização do Brasil através das novas tecnologias", acrescentou.

Posteriormente, o ministro de Tecnologia da Colômbia, Diego Molano, indicou que o grande desafio das novas tecnologias aplicadas à política é a "participação dos cidadãos". "São os cidadãos que se incorporam à política, não só participando, mas promovendo decisões políticas", assinalou, "e as novas tecnologias permitem canalizar esta inter-relação".

Molano citou uma proposta do governo do presidente colombiano, Juan Manuel Santos, um programa televisivo semanal no qual são respondidas e comentadas questões de atualidade enviadas pelos internautas colombianos. Além disso, incentivou as grandes companhias informáticas a desenvolverem "aplicações pensadas especificamente para a América Latina", já que é uma região em desenvolvimento, e deixar de pensar somente nos "usuários de maior poder aquisitivo".

Por último, Molano ressaltou como um dos principais aspectos positivos da tecnologia da informação é a "expansão da transparência nas contas públicas".

O presidente da Microsoft América Latina, Hernán Rincón, anfitrião do evento, assinalou por sua parte que o objetivo do encontro é inspirar as futuras gerações de líderes latino-americanos. "A tecnologia demonstrou ser impulsora do desenvolvimento social. Para que a América Latina alcance suas metas de crescimento devemos nos apoiar nas ferramentas que a era digital nos oferece para gerar maiores oportunidades para os cidadãos da região", afirmou.

Com informações da agência EFE.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade