publicidade
16 de janeiro de 2013 • 10h35 • atualizado às 19h36

Carro do Google Street View é acusado de atropelar e matar burro

Sequência mostra burro envolto em poeira, sugerindo que recém caiu, e depois apenas imóvel, deitado Foto: Reprodução
Sequência mostra burro envolto em poeira, sugerindo que recém caiu, e depois apenas imóvel, deitado
Foto: Reprodução
 

Um carro do Google Street View teria atropelado e matado um burro em Botswana, onde o serviço está fazendo o mapeamento. O usuário @TheRealSheldonC do Twitter encontrou imagens das câmeras que mostram um burro de pé, antes da passagem do veículo, e depois caído, sem se levantar mais.

A sequência mostra o burro deitado com uma nuvem de poeira, o que sugeriria que tinha sido atingido pelo carro e recém caíra - sendo capturado pela câmera traseira do carro. Usando as setas de navegação direcionais, há outra imagem que mostra o animal caído mas já sem nenhuma poeira ao redor, o que indicaria que caiu e não levantou mais - sugerindo que morreu.

O Google alega que quando o carro passou pelo burro, o animal já estava deitado. Segundo o gigante das buscas, logo depois o bicho levantou e começou a andar, sem sinais de estar ferido. "Nossa equipe do Street View leva muito a sério a segurança das pessoas e dos burros", afirmou um porta-voz do Google.

A companhia de Mountain View diz que revisou as imagens feitas pelo carro no local e confirmou que o veículo "não causou nenhum ferimento ao burro". Mas o site australiano Courier Mail discorda. Segundo a publicação, o Google enviou imagens que acabaram não sendo usadas no Street View mas que foram tiradas pelo carro, e que sustentariam a visão de que o bicho não foi atropelado.

Analisando as imagens, o site afirma que, se o acidente não ocorreu, então o burro estava andando de costa. Isso porque no momento inicial o animal estava deitado à esquerda, e no seguinte está de pé e do outro lado da estrada. Além disso, da segunda para a terceira foto, na ordem em que o Google diz que tudo aconteceu, o burro estaria andado de costas, por sua cabeça continua virada na direção do carro mas ele está mais distante. O site consultou um professor de zoologia que disse que burros não costumam andar longas distâncias de costas, apenas alguns passos.

Mais tarde, em um post em ums dos blogs oficiais da companhia, o gerente Kei Kawai afirmou que o burro estava "vivo e bem". A companhia liberou imagens brutas do mapeamento no local para comprovar que as imagens que mostram o atropelamento estavam organizadas na ordem contrária aos acontecimentos.

 

Terra