0

Conheça Alex Tew, o britânico das ideias que valem US$ 1 mi

4 out 2010
08h25
atualizado às 08h29
Rafael Maia

Ser milionário. Duas palavras que, no dicionário, têm o mesmo valor de todas as outras, mas que, na vida da maior parte das pessoas do planeta, significam a alegria eterna. E, para elas, a solução seria algo não-tangível e distante, como sonhar em ganhar na Mega-Sena. Isso é para a maior parte das pessoas. Para Alex Tew, um jovem empreendedor britânico de 27 anos, só foram necessários a internet, a ambição e uma ideia simples para ganhar seu primeiro US$ 1 milhão.

Com uma ideia simples, a de vender pixels por US$ 1, Alex ganhou mais de US$ 1 milhão em apenas 5 meses
Com uma ideia simples, a de vender pixels por US$ 1, Alex ganhou mais de US$ 1 milhão em apenas 5 meses
Foto: Divulgação

Alex Tew nasceu em Wiltshire, na Inglaterra. Ela terminou o ensino médio em 2005 e só seguiria os estudos na faculdade caso contasse com empréstimos do governo. O curso durava três anos. A dívida, outros dez. A solução para arrecadar o dinheiro para os estudos veio de uma brincadeira chamada "The Million Dollar Homepage".

O site, que pode ser acessado pelo atalho milliondollarhomepage.com, era simples, visualmente uma bagunça de cores e, em um primeiro momento, não fazia o menor sentido. A ideia por trás de sua criação, porém, era genial. Alex resolveu vender pixels, espaços na tela do site para anunciantes. A home page era composta de um milhão de pixels, arranjados em uma grade de 1000 x 1000, cada um com o preço de US$ 1.

Loucura? É estranho imaginar por que anunciantes colocariam suas marcas misturadas a outras dezenas e ainda pagariam por isso. O resultado foi que Alex virou uma febre no mundo digital, despontou como alguém que pensava para além dos limites do possível e conseguiu mais de US$ 1 milhão em apenas cinco meses.

Para ele, não importa se a economia vai bem ou mal: nunca houve um momento mais propício para os negócios online. "Lançar uma startup, hoje, é barato e rápido. A inserção da população no mundo da internet é crescente. E, com ela, crescem os canais para distribuição de novas ideias", afirmou em entrevista por email ao Terra.

Anos depois, ele criou a sua própria startup, a PopJam, um serviço de chat online que pode ser acessado somente por usuários do Facebook. Atrelado à conta, não parece uma ideia brilhante, já que a própria rede social conta com o seu serviço de mensagens instantâneas. Para o empreendedor, no entanto, isso é apenas o começo.

Depois do fervor da venda de pixels, Alex tirou do papel sua próxima ideia. A simplicidade do pensamento continua. Mas, agora, entra em cena a provocação. Ele quer criar o 'verdadeiro' Facebook. E brinca: "espero que Mark Zuckerberg entre em contato. Já separei o espaço de destaque no livro para ele".

O site está no ar pelo endereço onemillionpeople.com. O objetivo é, de novo, ganhar mais alguns milhões. A sacada de Alex se dá porque ele quer construir, com a ajuda dos usuários e do dinheiro deles, o real 'livro de rostos'. Por US$ 3, ele espera que as pessoas mandem as fotos que usam em seu perfil do Facebook para imprimir um livro com os rostos quando o número chegar a um milhão. "Será um símbolo físico e atemporal da revolução da web e de como, mais do que nunca, fazemos parte hoje de uma grande comunidade global", declarou.

Para os iniciantes, Alex enxerga dois grandes obstáculos: ganhar dinheiro e, o mais importante, encontrar pessoas que pensem diferente. "Na PopJam, conseguimos ganhar dinheiro bem rápido, mas contratamos muito lentamente. Pessoas excepcionais não aparecem da noite para o dia", declarou. Exceção, ao que parece, pode ser feita a ele, para quem "alegria eterna" são duas palavras que começaram com uma brincadeira executada da cadeira do seu quarto.

Fonte: Redação Terra

compartilhe

publicidade