0

Criador do 4chan defende anonimato na web e imita funkeiros

18 ago 2011
23h03
atualizado em 19/8/2011 às 01h52
Simone Sartori
Direto de São Paulo

Conhecido na internet como "moot" e idolatrado por geeks do mundo inteiro, o nova-iorquino Christopher Poole, 23 anos, criador do controverso site 4chan - fórum destinado à postagem de imagens anônimas e considerado o maior na língua inglesa-, afirmou na noite desta quinta-feira, durante o festival de cultura de internet youPIX, relizado em São Paulo, que o anonimato na web garante mais liberdade e criatividade aos usuários. Simpático, ao fim de sua participação no evento, ele chegou a imitar, mesmo desajeitado, a coreografia do grupo de funk Avassaladores, vídeo de sucesso no YouTube.

Incentivado pelo humorista Rafinha Bastos, "moot" improvisou alguns passos de funk
Incentivado pelo humorista Rafinha Bastos, "moot" improvisou alguns passos de funk
Foto: Fernando Borges / Terra

Em 2009, Poole foi eleito a pessoa mais influente do mundo pela revista americana Time . Defensor do anonimato na rede, ele se tornou um dos principais opositores de Mark Zuckerberg, criador do Facebook, ao fundar sua própria rede social, a Canvas - site que permite o compartilhamento e a edição de imagens.

Segundo ele, quando as pessoas estão anônimas na internet, não há medo de falhas ou julgamentos. Para exemplificar sua tese, ele citou o Facebook, onde os membros da rede social bloqueiam comentários de seus contatos quando algum comportamento desagrada.

Vestido de camiseta preta, calça jeans e tênis, Poole afirmou que teve noção do quanto o trabalho dele era importante quando o FBI, a polícia federal americana, entrou em contato com ele. O jovem contou ainda que não se vê como uma figura influente. Importante seria o alcance conquistado pela comunidade do 4chan.

No embalo do assunto, Poole disse ainda que não acreditava que pudesse ser eleito pela revista americana Time como pessoa mais influente do mundo (em 2009) e creditou os votos em boa parte à ajuda dos membros do fórum. O 4chan, segundo ele, nunca funcionou como uma empresa e, atualmente, é mantido com a ajuda de voluntários. O conceito de empresa está focado atualmente na rede Canvas.

O nova-iorquino considera positiva sua entrada no mundo dos negócios e afirmou que, em um ano, a rede conseguiu arrecadar US$ 3 milhões. Embora seja uma experiência oposta ao 4chan, ele disse que está gostando da experiência de lidar com investidores. O jovem também lembrou que a rede Canvas é seu primeiro emprego "de verdade", ao contrário do 4chan, que funciona com voluntários e sem intenção de lucro.

Interação com o público
Apresentado como "mito" e "lenda" pelos organizadores do youPIX, o jovem de 23 anos demonstrou timidez em alguns momentos, mas demonstrou desenvoltura para responder às perguntas feitas pelo jornalista Alexandre Matias, do jornal O Estado de S.Paulo , e pela plateia, que chegou a questioná-lo através de tweets exibidos em uma tela durante a entrevista se era gay ou se tinha namorada. Pouco depois, o rapaz parece ter aproveitado a deixa de uma pergunta para saber se alguém no auditório não gostava dele. Diante do silêncio, Poole brincou dizendo que deveria morar no Brasil.

Antes do fim de sua participação, foi um exibido um vídeo do grupo de funk Avassaladores ( Sou f... ), sucesso no YouTube, quase ao mesmo tempo em que o apresentador do CQC Rafinha Bastos entrou no palco. Provocador, o humorista convidou Poole a imitar a coreografia dos funkeiros no vídeo. Simpático, apesar de aparentemente não entender muito bem o que estava acontecendo, o americano referência na internet topou o desafio, bastante desajeitado.

O festival youPIX, que se autoproclama o maior evento de cultura de internet do Brasil, termina nesta sexta-feira, no Porão das Artes, no Parque Ibirapuera, na zona sul de São Paulo.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade