10 eventos ao vivo

Dotcom promete novo Megaupload para janeiro de 2013

26 out 2012
13h38
atualizado às 13h55

O novo Megaupload, chamado Megabox, chegará à rede em janeiro de 2013, anunciou Kim Dotcom, o criador do serviço original, através da sua conta no Twitter. A data marcará um ano da prisão de Dotcom, após uma investigação envolvendo autoridades de vários países. O Megaupload foi desativado no dia 19, e Dotcom preso em 20 de janeiro de 2012.

Novo serviço marcará um ano da queda do Megaupload e seu fundador
Novo serviço marcará um ano da queda do Megaupload e seu fundador
Foto: Youtube.com / Reprodução

O Megabox será uma loja de música virtual na qual os artistas receberão, segundo o criador, 90% dos direitos, evitando assim as grandes gravadoras. O projeto mira no iTunes, da Apple.

Desde sua prisão, no início do ano, Dotcom, hoje aguardando seu processo de extradição em liberdade na Nova Zelândia, começou a falar de um novo site.

Chamado de revolucionário pelo próprio idealizador, o site quer vender álbuns e faixas diretamente dos artistas para o público, "desacorrentando os consumidores da indústria musical", descreveu Dotcom.

"Nosso modelo de negócios já foi testado com milhões de usuários e funciona", declarou, sem dar detalhes sobre a estratégia comercial do serviço.

. Em entrevista à Wired, neste mês, Dotcom afirmou que o novo serviço aproveitaria todas as possibilidades da nuvem para evitar o acesso das autoridades aos conteúdos postados.

O funcionamento da nova ferramenta seria simples: ao fazer o upload de um arquivo, ele será criptografado e será decodificado por meio de uma senha que somente o usuário terá acesso. Assim, fica a cargo de quem subiu o arquivo a decisão sobre o compartilhamento ou não dele com outros internautas. Sem acesso a essa senha, o Mega não teria como assumir a responsabilidade pelo conteúdo armazenado pelos seus usuários.

"Se os servidores forem perdidos, se o governo entrar em um data center e violá-lo, se hackear o servidor ou roubá-lo, isso não lhes daria nada", explicou à Wired. "Tudo que for enviado para o site vai continuar fechado e privado sem a senha", disse.

Dotcom acredita que mesmo a interpretação da lei que causou o fechamento do Megaupload não será capaz de derrubar o Mega. Para ele, a única forma de parar o serviço seria tornar ilegal a criptografia de dados.

Dotcom foi detido em janeiro em Auckland, na Nova Zelândia, como parte de uma operação internacional contra a pirataria realizada pelos Estados Unidos e que forçou o encerramento das atividades do Megaupload. Além de ser encarado como justiceiro da internet, Dotcom deve virar personagem de um documentário e está lançando seu primeiro álbum de música.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade