Internet

publicidade
13 de outubro de 2011 • 08h09

Google Plus é um atraso patético, critica engenheiro do Google

Google é uma empresa americana com sede em Mountain View, na Califórnia
Foto: AFP
 

A rede social do Google - uma das maiores companhias de tecnologia do planeta - tem aumentado o número de usuários ativos recentemente, mas as maiores críticas parecem estar vindo de dentro do próprio Google. O engenheiro de software da companhia, Steve Yegge, escreveu em um post que o Google+ é, na verdade, um pensamento atrasado e patético e uma reação automática ao mercado.

Segundo o site Huffington Post, Yegge descreveu a rede social dentro do próprio Google+ como sendo um resultado de um estudo com pouco pensamento baseado na noção incorreta de que o Facebook é bem-sucedido porque existe ali um bom produto.

O que Yegge quer dizer é que o Google+ monopoliza a experiência do usuário, o que a rede social de Mark Zuckerberg não faz. "O Facebook é bem-sucedido porque eles construíram uma constelação inteira de produtos ao permitir que outras pessoas trabalhem por eles. Isso faz com que o Facebook seja diferente de todo mundo. Algumas pessoas gastam todo o tempo no Mafia Wars. Alguns gastam o tempo inteiro no Farmville. Existem provavelmente centenas ou talvez milhares de maneiras de prender o usuário disponíveis, então sempre há algo para todo mundo", afirmou o engenheiro no post.

Além disso, Yegge também argumentou contra a ideia comum de que o Google, no geral, tem a intenção de prever o que as pessoas querem e entregam isso a elas. Para ele, essa é uma tarefa que poucas pessoas, senão nenhuma, conseguiram colocar em prática. "Steve Jobs foi um desses. Nós não temos um Steve Jobs aqui no Google", escreveu Yegge. "Me desculpem, mas nós não temos", completou.

Terra Terra