Internet

publicidade
25 de junho de 2012 • 21h03 • atualizado às 21h30

Jon maddog Hall 'sai do armário' em homenagem a Alan Turing

Jon Hall mostra a tatuagem durante a Campus Party Brasil 2012
Foto: Mauro Horita / Terra

No domingo do fim de semana em que o mundo comemorou o centenário de Alan Turing, o 'pai da computação moderna', o diretor executivo da Linux International e guru do software livre, Jon 'maddog' Hall, escreveu um post em que se declara homossexual, numa homenagem ao brilhante matemático inglês que foi humilhado e quimicamente castrado na Inglaterra, na década de 1950, por ser gay, e se suicidou em 1954.

No longo post (que pode ser lido, em inglês, no site da Linux Magazine), Hall, 61 anos, fala que Turing é um dos seus heróis de todos os tempos e lembra que ele foi tão odiado por seu país e seu mundo que foi privado da única coisa pela qual vivia: seu trabalho. "Pode-se tentar amaciar os fatos dizendo que 'era a lei do seu tempo'". Mas, lembra Hall, "o tempo" não está muito distante de nós, e em alguns lugares "aquele tempo" ainda existe. "E isto me diz respeito porque eu sou, também, um homossexual", declara.

Hall diz que por muito tempo ele foi cuidadoso em relação a falar sobre sua homossexualidade por dois motivos: não queria que seu pai e sua mãe (ambos extremamente católicos) soubessem, e porque não queria que sua sexualidade causasse embaraços de qualquer tipo ao Linux e ao software livre. Mas, destaca, como seus pais morreram ano passado, a revelação não irá afetá-los.

E em relação ao mundo da tecnologia, ele diz: "A maioria das pessoas no meu mundo de eletrônicos e computadores era como os matemáticos do tempo de Turing, altamente educados e realmente não se importavam se os seus compatriotas eram homossexuais ou não, ou pelo menos conseguiam olhar além da sexualidade e ver o resto da pessoa."

Para Hall, a ciência da computação foi espécie de paraíso para homossexuais, por atrair pessoas bastante inteligentes e de pensamento moderno. "Muitas empresas de computação foram as primeiras a ter programas de diversidade", lembra.

Depois de explicar porque está fazendo esta revelação agora - embora, ressalva, nunca tenha escondido - Hall fala do que sempre acreditou, de como vê a vida, e encerra dizendo que nada vai mudar.

"Lembrem-se que sou exatamente a mesma pessoa de antes... vocês apenas sabem um pouco mais a meu respeito...na verdade, vocês sabem TUDO sobre mim. Não tenho outros 'segredos'. Paz e amor a todos vocês.. e... Carpe Diem!" - assim termina o post.

Terra