1 evento ao vivo

Messenger acaba amanhã: veja serviços 'mortos' e seus substitutos

29 abr 2013
11h35
atualizado às 11h37
  • separator
  • comentários

O Microsoft Messenger dará seu último suspiro na terça-feira, com a migração de usuários e contatos para o Skype, também da gigante de Redmond. O Brasil será o último país a ser migrado, e encerra uma história de 15 anos do mensageiro instantâneo da desenvolvedora de softwares americana.

<p>Na próxima terça-feira, a Microsoft vai aposentar o Messenger, seu tradicional programa de mensagens instantâneas, obrigando todos os usuários do serviço a migrarem para o Skype. O Skype foi comprado pela Microsoft em 2011, e permite novos recursos como chamadas de vídeo e ligações para telefones tradicionais (desde que o usuário tenha créditos para isso). Você ainda usa o Messenger? Veja como fazer a integração da sua conta com o Skype e os novos recursos que o programa permite</p>
Na próxima terça-feira, a Microsoft vai aposentar o Messenger, seu tradicional programa de mensagens instantâneas, obrigando todos os usuários do serviço a migrarem para o Skype. O Skype foi comprado pela Microsoft em 2011, e permite novos recursos como chamadas de vídeo e ligações para telefones tradicionais (desde que o usuário tenha créditos para isso). Você ainda usa o Messenger? Veja como fazer a integração da sua conta com o Skype e os novos recursos que o programa permite
Foto: AFP

Como o MSN, outros programas e serviços deixaram seus nomes marcados na história da tecnologia, mas tiveram seu fim - seja por descontinuação ou por grande queda de acessos. O Orkut, por exemplo, ainda é usado por 30 milhões de pessoas, mas comparado ao 1 bilhão de usuários do Facebook, perdeu a majestade. O buscador AltaVista também não sobreviveu ao Google, e o Netscape só existe na memória dos 'vovôs' da web - os mais novos só conhecem Internet Explorer, Chrome, Firefox, Safari, Opera.

Confira na galeria abaixo seis produtos que morreram depois da glória:

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade