Internet

publicidade
17 de novembro de 2011 • 11h03

Projeto de lei que censura a web ganha elogios nos EUA

Projeto de lei pretende proteger a propriedade intelectual
Foto: American Censorship Day / Reprodução
 

A audiência realizada na quarta-feira no Congresso americano sobre o SOPA (Stop Online Piracy Act) - projeto de lei anti-pirataria na internet - , resultou em saldo positivo para os apoiadores da causa. Apesar da campanha na web liderada por grandes empresas, como o Google, o Facebook, o Twitter e o eBay, por exemplo, os membros dos dois partidos dos Estados Unidos elogiaram a proposta da lei.

Na quarta-feira, o presidente do Judiciário, Lamar Smith, fez um discurso caloroso em favor da lei. "O roubo de propriedade intelectual americana custa à economia mais de US$ 100 bilhões por ano ... e milhares de empregos", declarou Smith. Já outro membro, John Conyers, afirmou que está entusiasmado porque este é um projeto bipartidário. "Eu acho isso muito importante", acrescentou Conyers.

A lei dará ao governo americano o direito de tirar do ar qualquer site de conteúdo quando algum detentor de direitos autorais, como Hollywood, requisitar. Atualmente, a política dos grandes estúdios é pedir diretamente aos sites a retirada dos conteúdos "não-autorizados". Com a aprovação da nova medida, os detentores dos direitos podem recorrer diretamente aos provedores e pedir a retirada do ar de um site inteiro - e não somente daquele conteúdo considerado ilegal.

Terra