Site de Sarah Palin é atacado depois de críticas ao WikiLeaks

9 dez 2010
Publicidade

Forte opositora do WikiLeaks, a ex-candidata a vice-presidência dos EUA Sarah Palin teve seu site atacado por hackers. A página SarahPAC saiu do ar depois de ataques que, segundo o site do jornal The Huffington Post, podem ter sido realizados por ativistas do grupo "Anonymous", responsáveis por hackear diversos sites que realizaram algum tipo de retaliação ao WikiLeaks. De acordo com o jornal, a política teve também as informações de seu cartão de crédito pessoal roubadas.

Palin questinou no Facebook, no mês passado, porque Julian Assange "não foi perseguido com a mesma urgência que perseguimos a Al Qaeda e os líderes talibãs". O criador do WikiLeaks respondeu a acusação em um editorial nesta semana, dizendo que Palin estava encorajando que ele fosse "caçado como Osama Bin Laden".

O grupo atacou diversos sites nesta semana, como uma vingança aos boicotes que o WikiLeaks vem sofrendo. A Operação Payback, como vem sendo chamada, já tirou do ar os sites da Visa, MasterCard e PayPal, que cancelaram as doações ao WikiLeaks. O site do banco suíço PostFinance, que bloqueou a conta do WikiLeaks, também foi hackeada. As páginas da promotoria sueca, de onde saiu a ordem de prisão a Julian Assange, criador do site, do advogado que defende as mulheres que acusam o australiano de crimes sexuais e do governo da Suécia também saíram do ar.

Fonte: Redação Terra
Publicidade