Internet

publicidade
16 de novembro de 2011 • 16h44 • atualizado às 17h27

Sites aderem à campanha "Parem com a Censura" na web

Diversos sites tentam impedir votação do Congresso em favor do SOPA
Foto: American Censorship Day / Reprodução

Diversos sites, como o Mozilla e o Oh No They Didn't, censuraram o logo na página inicial deles com uma tarja preta com as palavras "Parem com a Censura" (em inglês, Stop Censorship). Líderes na internet, grupos de interesse público e cidadãos aderiram à campanha contra o SOPA - Stop Online Piracy Act - uma lei do Congresso americano que daria aos donos dos direitos autorais controle total sobre a distribuição do conteúdo online.

O time dos gigantes da campanha, formado por companhias como eBay, Facebook, Twitter, Google, LinkedIn e Yahoo!, por exemplo, irá entregar uma carta em conjunto a líderes do Congresso dos Estados Unidos evidenciando quão maléfica a medida pode ser para os usuários - e não necessariamente para as companhias que mantêm os sites.

"Nós acreditamos que o SOPA ameaça a nossa habilidade como uma indústria de continuar a oferecer nossos softwares e serviços na web para as centenas de milhões de usuários que se relacionam com eles os produtos, assim como os muitos funcionários e desenvolvedores que nós apoiamos e que inovam essas tecnologias", diz um post no blog oficial do Mozilla nesta quarta-feira.

A lei SOPA ainda está em andamento no Congresso norte-americano e será votada nesta quarta-feira, eleito como o "Dia da Censura Americana". Para o Mozilla e para as outras companhias que estão nesta campanha, este é um momento-chave para o futuro da internet. Mais informações podem ser encontradas no site da campanha, o americancensorship.org.

Terra