Internet

publicidade
25 de janeiro de 2012 • 14h47 • atualizado às 16h11

Sites do governo polonês são atacados em protesto ao ACTA

Poloneses foram às ruas protestar contra o ACTA e a participação da Polônia no acordo
Foto: AFP
 

Hackers voltaram a atacar nesta quarta-feira várias páginas do governo polonês, enquanto centenas de internautas protestaram em várias cidades do país contra o fechamento do "Megaupload" e a assinatura de um acordo antipirataria. Assim como nos últimos quatro dias, os hackers atacaram os sites do primeiro-ministro e dos Ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, evidenciando as dificuldades que o Executivo encontra para frear este tipo de ataque.

O primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, garantiu nesta quarta que não cederá à "chantagem brutal" dos hackers e que a Polônia aderirá ao Acordo Comercial Antipirataria (ACTA, na sigla em inglês), destinado a proteger a propriedade intelectual na web. "Seria extravagante se a Polônia não assinasse o acordo e se convertesse no único país da Europa que não respeita os direitos de propriedade intelectual", afirmou.

Após sua assinatura, o acordo deverá ser ratificado pelo Parlamento e pelo presidente polonês, motivo pelo qual "haverá tempo para fazer as consultas necessárias", detalhou o chefe do Executivo.

Enquanto isso, os protestos continuavam nesta quarta=feira em diferentes cidades polonesas, onde centenas de internautas manifestavam sua rejeição à ACTA com o apoio e a presença de diferentes representantes sociais e dirigentes políticos da oposição.

EFE EFE - Agencia EFE - Todos os direitos reservados. Está proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agencia EFE S/A.