1 evento ao vivo

Vírus ataca sistemas de indústrias fundamentais na China

30 set 2010
05h12
atualizado às 06h19

O complexo vírus Stuxnet, descrito pelos especialistas de segurança na internet como uma das primeiras armas para a guerra cibernética, atacou os sistemas de informática das indústrias fundamentais da China, informou nesta quinta-feira o jornal South China Morning Post.

Segundo a publicação, o vírus atacou o sistema de controle criado pela multinacional alemã Siemens - uma das maiores fornecedoras de computadores industriais da China no exterior - e durante os últimos dias danificou pelo menos seis milhões de computadores e "quase mil" plantas industriais.

A agência oficial de notícias Xinhua informou que a fonte do ataque foram computadores cujo servidor tinha base nos Estados Unidos.

Analistas chineses asseguram que o vírus é uma ameaça potencial "sem precedentes" na segurança nacional da China, e o programa espião não só rouba e transmite dados das máquinas infectadas como também deixa uma porta aberta para o controle deles à distância, permitindo sua manipulação.

"Os alarmes soaram em quase todos os setores industriais fundamentais (aço, energia, transporte). Isto nunca aconteceu antes", afirmou Wang Zhantao, engenheiro chinês que trabalha com segurança da internet.

A sede central da Siemens, em Munique (Alemanha), se negou a comentar o impacto do vírus em seus clientes chineses, mas disse que está trabalhando para solucionar o problema.

O caso da China coincide com outro no Irã, onde o diretor do Organismo iraniano da Energia Atômica, Ali Akbar Salehi, declarou que alguns computadores portáteis "privados" de funcionários e técnicos da usina nuclear de Bushehr, no sul do país, foram infectados pelo Stuxnet.

Especialistas europeus em segurança na internet advertiram que o vírus é muito complexo e, provavelmente, foi criado por uma grande organização ou com a ajuda de algum governo, e pode ser considerado uma das primeiras armas para a guerra cibernética.

EFE   

compartilhe

publicidade