0

WhatsApp e aplicativos de mensagem ultrapassam SMS em 2012

29 abr 2013
09h41
atualizado às 09h44
  • separator
  • 0
  • comentários

Os aplicativos de mensagens instantâneas como o Whatsapp e o iMessage da Apple ultrapassaram o SMS na preferência do usuário em 2012, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Financial Times. Dados agregados pela consultoria de mídia e telecom Informa indicam perda de receita por parte das operadoras, com a queda do uso da mensagem de texto.

<p>Aplicativo WhatsApp manda mensagens de texto via internet</p>
Aplicativo WhatsApp manda mensagens de texto via internet
Foto: Reprodução

A expectativa é de que o número de mensagens diárias enviadas via app dobre para 41 bilhões neste ano - mais do que duas vezes a quantidade de SMS que, calcula-se, será enviada.

Em termos financeiros, a mudança do SMS para os apps - que além de texto permitem, muitas vezes, conversas de áudio e voz - impacta a receita e o tráfego para as operadoras, diz a analista da Informa Pamela Clark-Dickson, que cita países como Espanha, Holanda e Coreia do Sul. No país da península ibérica, por exemplo, a receita com mensagens de texto caiu de 1,1 bilhão de euros em 2007 para 758,5 milhão de euros em 2011, enquanto a quantidade de SMS baixou de 9,5 bilhões para 7,4 bilhões no mesmo período. A Informa calcula que a indústria de telecom gerará US$ 120 bilhões em SMS neste ano.

"Acredito que acabar com a mensagem de texto será inevitável, à medida que as pessoas aderem a planos de dados (móveis)", avalia Ted Livingson, executivo-chefe da Kik, que faz o app de mesmo nome e diz ter 50 milhões de usuários registrado. O CEO da companhia, que levantou US$ 19,5 milhões em investimentos na semana passada, completa destacando que se a qualidade dos serviços é a mesma, e um é de graça, é provável que o usuário opte pela gratuidade.

O mercado de apps de mensagens também está disputado, e traz WharsApp, Viber e Kik, com seus semelhantes, competindo com Apple iMessage, BlackBerry Messenger e Facebook Messenger. E as operadoras têm tentado reagir com o lançamento de serviços próprios e pacotes 'combo' de voz, SMS e dados, com fortes esperanças de que a internet 4G, de alta velocidade, abra a possibilidade de novas ofertas a preços mais elevados, segundo o FT.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade