1 evento ao vivo

John McAfee é levado a hospital após desmaiar na Guatemala

(Atualiza com declaração do médico que examinou McAfee) O milionário americano John McAfee foi levado nesta quinta-feira a um hospital após sofrer um desmaio na Reserva de Migração da Guatemala, onde está detido desde ontem por ter entrado no país de forma ilegal.

Uma das advogadas do milionário, Carla Paz, disse a jornalistas que McAfee sofreu um "desmaio" no reserva de Migração, situado no sudeste da capital, e que por isso foi levado ao hospital.

"Não pode movimentar-se, diz que o peito e o coração doem, mas está consciente", relatou Carla.

Outro advogado de Mcafee, Telésforo Guerra, explicou à imprensa que seu cliente padece de problemas cardíacos e, por isso, deve receber assistência médica.

Após examiná-lo, o médico do hospital da Polícia Nacional Civil (PNC), na cidade da Guatemala, Oscar González, afirmou que o multimilionário padece de hipertensão arterial e sinais de ansiedade.

O presidente da Guatemala, Otto Pérez Molina, anunciou nesta quinta-feira que seu Governo negou o asilo ao milionário americano.

"Nossa decisão é não autorizar o asilo que está pedindo", declarou o presidente à imprensa no Palácio Nacional da Cultura, sem explicar os motivos.

Por sua parte, o chanceler guatemalteco, Harold Caballeros, assegurou à Agência Efe que nas próximas horas McAfee, de 67 anos, será entregue a Belize, cujas autoridades querem interrogá-lo por um caso de assassinato.

Caballeros argumentou que a expulsão do americano, proprietário de uma empresa que leva seu nome e desenvolve programas antivírus informáticos, se deve ao fato de estar "de forma ilegal na Guatemala".

McAfee apareceu na terça-feira na Guatemala, dias após ter deixado pistas falsas sobre seu paradeiro, para fugir do interrogatório ao qual as autoridades de Belize, uma ex-colônia britânica onde tem uma casa, queriam submetê-lo pela morte de um vizinho.

"Como cidadão americano poderia ter entrado por uma fronteira sem necessidade de visto, mas fez isso ilegalmente e a Migração tem o direito de expulsá-lo", sustentou.

Explicou ainda que as autoridades de Belize enviaram à chancelaria da Guatemala uma nota na qual requerem McAfee para interrogá-lo sobre o homicídio de seu vizinho, o americano Gregory Faull, de 52 anos, há um mês na cidade de Ambergris Caye.

O advogado de McAfee, o guatemalteco Telésforo Guerra, foi notificado nesta quinta-feira da rejeição do asilo que tinha pedido ontem para seu cliente, acrescentou o ministro das Relações Exteriores guatemalteco.

O americano havia escrito hoje em seu blog que tinha pedido à embaixada dos Estados Unidos na Guatemala que o ajudasse a retornar a seu país.

"Acabo de falar com o oficial de guarda da Embaixada. Disse que não há nada que possam fazer. Lhe pedi que me mandem de volta aos EUA, e de novo não há nada que possam fazer. Portanto vou a esperar pra ver", escreveu o magnata dos programa antivírus em seu blog. EFE

oro/rsd

(foto)

EFE   
publicidade