0

Manual lançado pelo governo orienta postura em redes sociais

11 dez 2012
07h38

Lançado em outubro deste ano pela Secretaria de Comunicação Social da presidência da República, o Manual de Orientação para Atuação em Redes Sociais contém uma série de sugestões de como os servidores devem lidar com situações cotidianas na web, como crises e resposta a comentários de internautas. Dividido em seis partes, entre elas conceitos básicos, monitoramento de redes sociais e gerenciamento de crises, o manual esclarece, de forma didática, o funcionamento de cada uma das principais redes sociais, além de recomendar formas de agir em determinadas situações, a partir de casos reais.

Com 77 páginas, o Manual de Orientação para Atuações em Redes Sociais contém exemplos da rapidez com que as informações são disseminadas nas redes
Com 77 páginas, o Manual de Orientação para Atuações em Redes Sociais contém exemplos da rapidez com que as informações são disseminadas nas redes
Foto: Getty Images



Destacando o poder das redes sociais de disseminar informações de forma instantânea, como o caso da notícia da falsa morte da congressista norte-americana Gabrielle Giffords, baleada em 2011, o documento também contém dados sobre o comportamento dos usuários nas redes sociais, ao longo de suas 77 páginas.



Para o analista de mídias sociais da agência Cadastra, Lucas Diniz, manuais como o lançado pela secretaria da Presidência têm um papel importante como regulamentadores do uso das redes por empresas e órgãos públicos, ajudando a tornar estas comunidades disseminadoras das marcas. "Não é uma intenção de restringir, no sentido de não poder fazer isso ou aquilo, mas de orientar os funcionários sobre o uso das redes, prevenindo que as atuações dos indivíduos gerem resultados negativos", ressalta.



Pensando no uso das redes sociais por funcionários de empresas, Diniz recomenda o foco em manter um relacionamento com os usuários, não se limitando apenas a divulgar os produtos. "Eles devem estar preparados para atender as pessoas de uma forma adequada, se posicionando como um indivíduo e defendendo a causa da marca. Também é importante escutar antes de falar, além de adequar a sua linguagem para a do consumidor, estando atento ao que se fala sobre a marca", destaca.



Em relação a posturas que devem ser evitadas no uso das redes sociais, o analista de mídias sociais afirma que excesso de exposição pode acarretar em uma imagem negativa à marca. "É importante evitar poluir a timeline dos outros usuários, pois eles não querem ser bombardeados com um monte de ofertas, e não se meter em conversas, pois essas atitudes são normalmente vistas de uma maneira bastante antipática", analisa.



Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra
publicidade